Novidades
Início / LIÇÃO ADULTOS - 1° TRIMESTRE 2018 / Adultos: Mordomia Cristã: Motivos do Coração – 1° Trimestre 2018 – Introdução

Adultos: Mordomia Cristã: Motivos do Coração – 1° Trimestre 2018 – Introdução

Print Friendly, PDF & Email

 

 


LIÇÃO DA ESCOLA SABATINA – ADULTOS – 1° TRIMESTRE 2018

MORDOMIA CRISTÃ: MOTIVOS DO CORAÇÃO

JANEIRO Á MARÇO 2018

INTRODUÇÃO

ETM – ENVOLVIMENTO TOTAL DOS MEMBROS

TEMPO PARA O ENVOLVIMENTO TOTAL DOS MEMBROS

 

O que é o Envolvimento Total dos Membros?

O ETM é um esforço evangelístico da igreja mundial em grande escala que envolve cada membro, cada igreja, cada entidade administrativa e todo tipo de ministério de divulgação pública, e inclui ações missionárias pessoais e institucionais.

É um plano intencional para alcançar pessoas ao longo do calendário anual. O primeiro passo é descobrir as necessidades das famílias, dos amigos e dos vizinhos. O segundo passo é testemunhar como Deus satisfaz cada necessidade. O resultado é o plantio e o crescimento de igrejas com foco na conservação, pregação, evangelismo e discipulado.

COMO IMPLEMENTAR O TEMPO DO ETM NA ESCOLA SABATINA

Dedique os primeiros 15 minutos* de cada lição para planejar, orar e compartilhar:

ETM VOLTADO PARA DENTRO:

Planeje visitar, orar e prestar assistência aos membros desaparecidos ou feridos, e atribuir responsabilidades territoriais. Orar e discutir formas de ministrar às necessidades das famílias da igreja, membros inativos, jovens, homens e mulheres, abordando as várias maneiras de envolver toda a igreja.

ETM VOLTADO PARA FORA:

Ore e discuta formas de alcançar sua comunidade, cidade e o mundo, cumprindo a grande comissão do evangelho, semeando, colhendo e conservando. Envolva todos os ministérios da igreja enquanto planeja projetos de curto e longo prazo para alcançar pessoas para Cristo. O objetivo do ETM é a realização de atos conscientes de bondade. Aqui estão algumas maneiras práticas de se envolver pessoalmente: 1. Desenvolva o hábito de encontrar necessidades em sua comunidade; 2. Faça planos para atender a essas necessidades; 3. Ore pelo derramamento do Espírito Santo.

ETM VOLTADO PARA CIMA:

Estudo da lição. Incentive os membros a se envolverem no estudo bíblico individual. Torne-os participativos no estudo da Bíblia na Escola Sabatina. Estudem para transformação, não apenas para informação.

ETM Tempo Explicação
Comunhão

Ações sociais e evangelísticas

Missão mundial

15 min.* Ore, planeje e se organize para agir. Alcance os membros desaparecidos com o amor de Cristo. Programe a ação missionária. Oferta para missão.
Estudo da lição 45 min.* Envolva todos no estudo da lição. Faça perguntas. Destaque os textos-chave.
Almoço Planeje um almoço para a classe após o culto. ENTÃO SAIA E ALCANCE ALGUÉM!

* Ajuste o tempo conforme a necessidade da igreja.

 

NOSSAS CRENÇAS

28 crenças fundamentais da Igreja Adventista do Sétimo Dia

Os Adventistas do Sétimo Dia aceitam a Bíblia como seu único credo e acreditam que certas crenças fundamentais sejam ensinamentos das Escrituras Sagradas. Essas crenças constituem o entendimento da igreja e sua expressão desses ensinamentos. Como referência, apresentamos a seguir um resumo dessas crenças. Uma versão completa pode ser encontrada em www.adventist.org/pt/crencas.

 

1. AS ESCRITURAS SAGRADAS

As Escrituras Sagradas, o Antigo e o Novo Testamentos, são a Palavra de Deus escrita, dada por inspiração divina. Os autores inspirados falaram e escreveram ao serem movidos pelo Espírito Santo. As Escrituras Sagradas são a suprema, autoritativa e infalível revelação de Sua vontade.
(Sl 119:105; Pv 30:5, 6; Is 8:20; Jo 17:17; 1Ts 2:13; 2Tm 3:16, 17; Hb 4:12; 2Pe 1:20, 21.)

 

2. A TRINDADE

Há um só Deus: Pai, Filho e Espírito Santo, uma unidade de três Pessoas coeternas. Deus é imortal, onipotente, onisciente, acima de tudo e sempre presente. Ele é infinito e está além da compreensão humana, mas é conhecido por meio de Sua auto-revelação. Deus, que é amor, para sempre é digno de culto, adoração e serviço por parte de toda a criação.
(Gn 1:26; Dt 6:4; Is 6:8; Mt 28:19; Jo 3:16; 2Co 1:21, 22; 13:14; Ef 4:4-6; 1Pe 1:2.)

 

3. O PAI

Deus, o eterno Pai, é o Criador, Originador, Mantenedor e Soberano de toda a criação. Ele é justo e santo, compassivo e bondoso, tardio em irar-Se, e grande em constante amor e fidelidade.
(Gn 1:1; Dt 4:35; Sl 110:1, 4; Jo 3:16; 14:9; 1Co 15:28; 1Tm 1:17; 1Jo 4:8; Ap 4:11.)

 

4. O FILHO

Deus, o Filho eterno, encarnou-Se em Jesus Cristo. Por meio Dele todas as coisas foram criadas, o caráter de Deus é revelado, a salvação da humanidade é efetuada e o mundo é julgado. Sendo para sempre verdadeiramente Deus, Ele Se tornou também verdadeiramente homem, Jesus, o Cristo.
(Is 53:4-6; Dn 9:25-27; Lc 1:35; Jo 1:1-3, 14; 5:22; 10:30; 14:1-3, 9, 13; Rm 6:23; 1Co 15:3, 4; 2Co 3:18; 5:17-19; Fp 2:5-11; Cl 1:15-19; Hb 2:9-18; 8:1, 2.)

 

5. O ESPÍRITO SANTO

Deus, o Espírito Santo, desempenhou uma parte ativa com o Pai e o Filho na criação, encarnação e redenção. Ele é uma pessoa tanto quanto o Pai e o Filho. Ele inspirou os autores das Escrituras. Ele encheu de poder a vida de Cristo. Atrai e convence os seres humanos; e os que se mostram sensíveis são renovados e transformados por Ele, à imagem de Deus.
(Gn 1:1, 2; 2Sm 23:2; Sl 51:11; Is 61:1; Lc 1:35; 4:18; Jo 14:16-18, 26; 15:26; 16:7-13; At 1:8; 5:3; 10:38; Rm 5:5; 1Co 12:7-11; 2Co 3:18; 1Pe 1:21.)

 

6. A CRIAÇÃO

Deus revelou nas Escrituras o relato autêntico e histórico de Sua atividade criativa. Ele criou o Universo, e numa criação recente e literal de seis dias, o Senhor fez “os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há” e, ao sétimo dia, descansou. Assim Ele estabeleceu o sábado como perpétuo memorial da Sua obra de criação.
(Gn 1–2; 5; 11; Êx 20:8-11; Sl 19:1-6; 33:6, 9; 104; Is 45:12, 18; At 17:24; Cl 1:16; Hb 1:2; 11:3; Ap 10:6; 14:7.)

 

7. A NATUREZA DA HUMANIDADE

O homem e a mulher foram formados à imagem de Deus com individualidade, o poder e a liberdade de pensar e agir. Embora tenham sido criados como seres livres, cada um é uma unidade indivisível de corpo, mente e espírito, e dependente de Deus quanto à vida, respiração e tudo o mais.
(Gn 1:26-28; 2:7, 15; 3; Sl 8:4-8; 51:5, 10; 58:3; Jr 17:9; At 17:24-28; Rm 5:12-17; 2Co 5:19, 20; Ef 2:3; 1Ts 5:23; 1Jo 3:4; 4:7, 8, 11, 20.)

 

8. O GRANDE CONFLITO

Toda a humanidade está agora envolvida num grande conflito entre Cristo e Satanás em relação ao caráter de Deus, Sua lei e Sua soberania sobre o Universo. Esse conflito originou-se no Céu quando um ser criado, dotado de liberdade de escolha, por exaltação própria tornou-se Satanás, o adversário de Deus, e conduziu à rebelião uma parte dos anjos.
(Gn 3; 6–8; Jó 1:6-12; Is 14:12-14; Ez 28:12-18; Rm 1:19-32; 3:4; 5:12-21; 8:19-22; 1Co 4:9; Hb 1:14; 1Pe 5:8; 2Pe 3:6; Ap 12:4-9.)

 

9. VIDA, MORTE E RESSURREIÇÃO DE CRISTO

Na vida de Cristo, de perfeita obediência à vontade de Deus, e em Seu sofrimento, morte e ressurreição, Deus proveu o único meio de expiação do pecado humano, de modo que aqueles que aceitam pela fé essa expiação possam ter vida eterna, e toda a criação compreenda melhor o infinito e santo amor do Criador.
(Gn 3:15; Sl 22:1; Is 53; Jo 3:16; 14:30; Rm 1:4; 3:25; 4:25; 8:3, 4; 1Co 15:3, 4, 20-22; 2Co 5:14, 15, 19-21; Fp 2:6-11; Cl 2:15; 1Pe 2:21, 22; 1Jo 2:2; 4:10.)

 

10. A EXPERIÊNCIA DA SALVAÇÃO

Em infinito amor e misericórdia, Deus fez com que Cristo, que não conheceu pecado, fosse feito pecado por nós, para que Nele fôssemos feitos justiça de Deus. Guiados pelo Espírito Santo, sentimos nossa necessidade, reconhecemos nossa pecaminosidade, arrependemo-nos de nossas transgressões e temos fé em Jesus como Salvador e Senhor, Substituto e Exemplo.
(Gn 3:15; Is 45:22; 53; Jr 31:31-34; Ez 33:11; 36:25-27; Hc 2:4; Mc 9:23, 24; Jo 3:3-8, 16; 16:8; Rm 3:21-26; 8:1-4, 14-17; 5:6-10; 10:17; 12:2; 2Co 5:17-21; Gl 1:4; 3:13, 14, 26; 4:4-7; Ef 2:4-10; Cl 1:13, 14; Tt 3:3-7; Hb 8:7-12; 1Pe 1:23; 2:21, 22; 2Pe 1:3, 4; Ap 13:8.)

 

11. CRESCIMENTO EM CRISTO

Por Sua morte na cruz, Jesus triunfou sobre as forças do mal. Aquele que, durante Seu ministério terrestre, subjugou os espíritos demoníacos, quebrou o poder do maligno e confirmou sua condenação final. A vitória de Jesus nos dá a vitória sobre as forças do mal que ainda buscam nos controlar, ao andarmos com Ele em paz, alegria e com a certeza do Seu amor.
(1Cr 29:11; Sl 1:1, 2; 23:4; 77:11, 12; Mt 20:25-28; 25:31-46; Lc 10:17-20; Jo 20:21; Rm 8:38, 39; 2Co 3:17, 18; Gl 5:22-25; Ef 5:19, 20; 6:12-18; Fp 3:7-14; Cl 1:13, 14; 2:6, 14, 15; 1Ts 5:16-18, 23; Hb 10:25; Tg 1:27; 2Pe 2:9; 3:18; 1Jo 4:4.)

 

12. A IGREJA

A igreja é a comunidade de crentes que confessam Jesus Cristo como Senhor e Salvador. Em continuidade com o povo de Deus nos tempos do Antigo Testamento, somos chamados para fora do mundo; e nos unimos para adoração, para comunhão, para instrução na Palavra, para a celebração da Ceia do Senhor, para o serviço a toda a humanidade e para a proclamação mundial do evangelho.
(Gn 12:1-3; Êx 19:3-7; Mt 16:13-20; 18:18; 28:19, 20; At 2:38-42; 7:38; 1Co 1:2; Ef 1:22, 23; 2:19-22; 3:8-11; 5:23-27; Cl 1:17, 18; 1Pe 2:9.)

 

13. O REMANESCENTE E SUA MISSÃO

A igreja universal se compõe de todos os que verdadeiramente creem em Cristo; mas, nos últimos dias, um tempo de ampla apostasia, um remanescente tem sido chamado para fora, a fim de guardar os mandamentos de Deus e a fé de Jesus. Esse remanescente anuncia a chegada da hora do juízo, proclama a salvação por meio de Cristo e anuncia a aproximação de Seu segundo advento.
(Dn 7:9-14; Is 1:9; 11:11; Jr 23:3; Mq 2:12; 2Co 5:10; 1Pe 1:16-19; 4:17; 2Pe 3:10-14; Jd 3, 14; Ap 12:17; 14:6-12; 18:1-4.)

 

14. UNIDADE NO CORPO DE CRISTO

A igreja é um corpo com muitos membros, chamados de toda nação, tribo, língua e povo. Em Cristo somos uma nova criação; distinções de raça, cultura e nacionalidade, e diferenças entre altos e baixos, ricos e pobres, homens e mulheres, não devem ser motivo de dissensões entre nós.
(Sl 133:1; Mt 28:19, 20; Jo 17:20-23; At 17:26, 27; Rm 12:4, 5; 1Co 12:12-14; 2Co 5:16, 17; Gl 3:27-29; Ef 2:13-16; 4:3-6, 11-16; Cl 3:10-15.)

 

15. O BATISMO

Pelo batismo confessamos nossa fé na morte e na ressurreição de Jesus Cristo, e testificamos da nossa morte para o pecado e do nosso propósito de andar em novidade de vida. Assim reconhecemos Cristo como Senhor e Salvador, tornamo-nos Seu povo e somos recebidos como membros por Sua Igreja.
(Mt 28:19, 20; At 2:38; 16:30-33; 22:16; Rm 6:1-6; Gl 3:27; Cl 2:12, 13.)

 

16. A CEIA DO SENHOR

A Ceia do Senhor é uma participação nos emblemas do corpo e do sangue de Jesus, como expressão de fé Nele, nosso Senhor e Salvador. O serviço da comunhão é aberto a todos os cristãos fiéis.
(Mt 26:17-30; Jo 6:48-63; 13:1-17; 1Co 10:16, 17; 11:23-30; Ap 3:20.)

 

17. DONS E MINISTÉRIOS ESPIRITUAIS

Deus concede a todos os membros de Sua Igreja em todas as épocas dons espirituais que cada membro deve empregar em amoroso ministério para o bem comum da igreja e da humanidade. De acordo com as Escrituras, esses dons abrangem ministérios como a fé, profecia, cura, proclamação, ensino, administração, reconciliação, compaixão, serviço abnegado e caridade para auxilio e encorajamento das pessoas.
(At 6:1-7; Rm 12:4-8; 1Co 12:7-11, 27, 28; Ef 4:8, 11-16; 1Tm 3:1-13; 1Pe 4:10, 11.)

 

18. O DOM DE PROFECIA

As Escrituras testificam que um dos dons do Espírito Santo é a profecia. Esse dom é uma característica da igreja remanescente e foi manifestado no ministério de Ellen G. White. Seus escritos falam com autoridade profética e tornam claro que a Bíblia é a norma pela qual todo ensino e experiência devem ser provados.
(Nm 12:6; 2Cr 20:20; Am 3:7; Jl 2:28, 29; At 2:14-21; 2Tm 3:16, 17; Hb 1:1-3; Ap 12:17; 19:10; 22:8, 9.)

 

19. A LEI DE DEUS

Os grandes princípios da lei de Deus são incorporados nos Dez Mandamentos e exemplificados na vida de Cristo. Expressam o amor, a vontade e os propósitos de Deus acerca da conduta e dos relacionamentos humanos, e são obrigatórios a todas as pessoas, em todas as épocas. Esses preceitos constituem a base da aliança de Deus com Seu povo e a norma no juízo de Deus.
(Êx 20:1-17; Dt 28:1-14; Sl 19:7-14; 40:7, 8; Mt 5:17-20; 22:36-40; Jo 14:15; 15:7-10; Rm 8:3, 4; Ef 2:8-10; Hb 8:8-10; 1Jo 2:3; 5:3; Ap 12:17; 14:12.)

 

20. O SÁBADO

O bondoso Criador, após os seis dias da criação, descansou no sétimo dia e instituiu o sábado para todas as pessoas como memorial da criação. O quarto mandamento da imutável lei de Deus requer a observância do sábado como dia de descanso, adoração e ministério, em harmonia com o ensino e prática de Jesus, o Senhor do sábado.
(Gn 2:1-3; Êx 20:8-11; 31:13-17; Lv 23:32; Dt 5:12-15; Is 56:5, 6; 58:13, 14; Ez 20:12, 20; Mt 12:1-12; Mc 1:32; Lc 4:16; Hb 4:1-11.)

 

21. MORDOMIA

Somos mordomos de Deus, responsáveis diante Dele pelo uso apropriado do tempo e das oportunidades, capacidades e posses, e das bênçãos da Terra e seus recursos, que Ele colocou sob o nosso cuidado. Reconhecemos a propriedade de Deus por meio do serviço fiel a Ele e aos nossos semelhantes, devolvendo os dízimos e dando ofertas para a proclamação de Seu evangelho e para a manutenção e o crescimento de Sua igreja.
(Gn 1:26-28; 2:15; 1Cr 29:14; Ag 1:3-11; Ml 3:8-12; Mt 23:23; Rm 15:26, 27; 1Co 9:9-14; 2Co 8:1-15; 9:7).

 

22. CONDUTA CRISTÃ

Somos chamados para ser um povo piedoso que pensa, sente e age de acordo com os princípios bíblicos em todos os aspectos da vida pessoal e social. Para que o Espírito recrie em nós o caráter de nosso Senhor, envolvemo-nos somente nas coisas que produzem em nossa vida pureza, saúde e alegria semelhantes às de Cristo.
(Gn 7:2; Êx 20:15; Lv 11:1-47; Sl 106:3; Rm 12:1, 2; 1Co 6:19, 20; 10:31; 2Co 6:14-7:1; 10:5; Ef 5:1-21; Fp 2:4; 4:8; 1Tm 2:9, 10; Tt 2:11, 12; 1Pe 3:1-4; 1Jo 2:6; 3Jo 2.)

 

23. O CASAMENTO E A FAMÍLIA

O casamento foi divinamente estabelecido no Éden e confirmado por Jesus como união vitalícia entre um homem e uma mulher em amoroso companheirismo. Para o cristão, o compromisso matrimonial é com Deus e também com o cônjuge, e só deve ser assumido entre um homem e uma mulher que partilhem da mesma fé.
(Gn 2:18-25; Êx 20:12; Dt 6:5-9; Pv 22:6; Ml 4:5, 6; Mt 5:31, 32; 19:3-9, 12; Mc 10:11, 12; Jo 2:1-11; 1Co 7:7, 10, 11; 2Co 6:14; Ef 5:21-33; 6:1-4.)

 

24. O MINISTÉRIO DE CRISTO NO SANTUÁRIO CELESTIAL

Há um santuário no Céu, o verdadeiro tabernáculo que o Senhor erigiu, não o homem. Nele Cristo ministra em nosso favor, tornando acessíveis aos crentes os benefícios de Seu sacrifício expiatório oferecido uma vez por todas na cruz. Por ocasião de Sua ascensão, Ele foi empossado como nosso grande Sumo Sacerdote e começou Seu ministério intercessório, o qual era prefigurado pela obra do sumo sacerdote no lugar santo do santuário terrestre.
(Lv 16; Nm 14:34; Ez 4:6; Dn 7:9-27; 8:13, 14; 9:24-27; Hb 1:3; 2:16, 17; 4:14-16; 8:1-5; 9:11-28; 10:19-22; Ap 8:3-5; 11:19; 14:6, 7; 20:12; 14:12; 22:11, 12.)

 

25. A SEGUNDA VINDA DE CRISTO

A segunda vinda de Cristo é a bendita esperança da igreja, o grande ponto culminante do evangelho. A vinda do Salvador será literal, pessoal, visível e universal. Quando Ele voltar, os justos mortos serão ressuscitados e, juntamente com os justos que estiverem vivos, serão glorificados e levados para o Céu, mas os ímpios morrerão.
(Mt 24; Mc 13; Lc 21; Jo 14:1-3; At 1:9-11; 1Co 15:51-54; 1Ts 4:13-18; 5:1-6; 2Ts 1:7-10; 2:8; 2Tm 3:1-5; Tt 2:13; Hb 9:28; Ap 1:7; 14:14-20; 19:11-21.)

 

26. MORTE E RESSURREIÇÃO

O salário do pecado é a morte. Mas Deus, o único que é imortal, concederá vida eterna a Seus remidos. Até aquele dia, a morte é um estado inconsciente para todas as pessoas. Quando Cristo, que é a nossa vida, manifestar-Se, os justos ressuscitados e os justos vivos serão glorificados e arrebatados para se encontrar com seu Senhor. A segunda ressurreição, dos ímpios, ocorrerá mil anos mais tarde.
(Jó 19:25-27; Sl 146:3, 4; Ec 9:5, 6, 10; Dn 12:2, 13; Is 25:8; Jo 5:28, 29; 11:11-14; Rm 6:23; 1Co 15:51-54; Cl 3:4; 1Ts 4:13-17; 1Tm 6:15, 16; Ap 20:1-10.)

 

27. O MILÊNIO E O FIM DO PECADO

O milênio é o reinado de mil anos de Cristo com Seus santos no Céu, entre a primeira e a segunda ressurreições. Durante esse tempo, os ímpios mortos serão julgados, a Terra estará completamente desolada, sem habitantes humanos com vida, mas ocupada por Satanás e seus anjos. No fim desse período, Cristo com Seus Santos e a Cidade Santa descerão do Céu à Terra. Os ímpios mortos serão então ressuscitados e, com Satanás e seus anjos, cercarão a cidade; mas fogo de Deus os consumirá e purificará a Terra. O Universo ficará assim eternamente livre do pecado e dos pecadores.
(Jr 4:23-26; Ez 28:18, 19; Ml 4:1; 1Co 6:2, 3; Ap 20; 21:1-5.)

 

28. A NOVA TERRA

Na Nova Terra, em que habita justiça, Deus proverá um lar eterno para os remidos e um ambiente perfeito para vida, amor, alegria e aprendizado eternos, em Sua presença. Pois aqui o próprio Deus habitará com Seu povo, e o sofrimento e a morte terão passado. O grande conflito estará terminado e não mais existirá pecado. Todas as coisas, animadas e inanimadas, declararão que Deus é amor; e Ele reinará para todo o sempre. Amém!
(Is 35; 65:17-25; Mt 5:5; 2Pe 3:13; Ap 11:15; 21:1-7; 22:1-5.).


Introdução

A Vida de um Mordomo Cristão

Precisamos reconhecer nossa condição pecaminosa antes de enxergar a necessidade de mudança. A transformação só pode ocorrer pela atuação de Cristo em nossa vida. A mordomia é uma expressão dessa mudança. Em sentido amplo, mordomia é a administração de posses tangíveis e intangíveis para a glória de Deus.

De acordo com a Bíblia, a mordomia cristã é um instrumento poderoso contra os perigos do materialismo (o amor pelas coisas) ou do mundanismo em geral (uma das grandes armadilhas espirituais que o inimigo apresenta). Muitos não percebem que as riquezas e bens são temperos baratos e artificiais que, no fim, perdem seu sabor. Infelizmente, muitos se perderão pela incapacidade de se libertar do amor pelo mundo. A concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida” (1Jo 2:16) podem ser amenizados e até mesmo evitados mediante os princípios de mordomia que vivemos.

Neste trimestre, estudaremos a mordomia e a maneira pela qual Deus deseja que vivamos, o que inclui a libertação do amor pelo mundo. Mordomia é a expressão prática do que significa seguir Jesus e do nosso amor a Deus, um meio de viver a verdade que recebemos em Cristo. Somos mordomos porque Deus nos amou primeiro.

Devemos ser servos fiéis e dignos da confiança de Deus e viver de maneira altruísta, ligando-nos a Jesus em nossas palavras e ações. Na escola de Cristo, descobrimos que o resultado da mordomia é o contentamento com a vida justa. Devemos administrar as posses de Deus para Sua glória, sustentando financeiramente Sua missão para concluir Sua obra.

Nossa vida reflete o caráter de Deus para o mundo. Há beleza, felicidade e piedade na vida daqueles que ousam defender os princípios bíblicos, que vão especialmente contra a tendência da nossa cultura.

No fim, ouviremos apenas uma declaração de reprovação (Mt 7:23) ou de aprovação (Mt 25:23). Oramos para que a mordomia o ajude a seguir no caminho da aprovação.

John H. H. Mathews, doutor em Ministério pela Universidade Andrews, é um pastor ordenado que trabalhou na Flórida, Alabama, Iowa, Missouri, Tennessee e Nebraska. Hoje ele lidera o Ministério de Mordomia da Divisão Norte-americana.

Notas do Editor
1. As perguntas do estudo de segunda a quinta-feira, com alternativas de múltipla escolha, “falso ou verdadeiro”, “assinale a alternativa correta”, etc., são elaboradas para dinamizar e facilitar o estudo da lição. O estudo de sexta-feira traz respostas sugestivas para essas questões. Porém, essas respostas não excluem a possibilidade de opiniões e interpretações diferentes, principalmente em pontos para os quais não há uma clara definição bíblica nem uma posição definida pela Igreja.
2. A versão bíblica adotada nesta Lição é a Almeida Revista e Atualizada no Brasil, 2a edição. Outras versões utilizadas são identificadas como segue: NTLH – Nova Tradução na Linguagem de Hoje; NVI – Nova Versão Internacional;
ARC – Almeida Revista e Corrigida no Brasil.

Facebook Comments

sobre Escola Sabatina

Além disso, verifique

Jovens: Lição 06 – A Mudança da Lei – 05 á 12 de Maio 2018

    “Proferirá palavras contra o Altíssimo, magoará os santos do Altíssimo e cuidará em …

2 Comentários

  1. boa tarde, conheci´a igreja adventista pelo pastor , Fernando Igresias,Ivan saraiva,eo que me falou mais foi o pastor da arena do futuro ele falou comigo, para que eu parace com tudo que eu estivesse fazendo ,ele orou como tevese conversando comigo.prestei muito atençaõ,nas tuas pregagaçaõ eu vi que eu estava longe de Deus ,o dia mais feliz asseite Jesus,no mesmo tempo, hoje sou mais um menbro,da adventista ,fui batizado com espirito santo hoje louvo a DEus e canto muito hinos Jesus me tiro do poço de lamasal,sou feliz com Jesus,ame

  2. CHRISTIAN MIRANDA PEREIRA

    ao estou conseguindo visualizar a lição e nem impimi-la.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Chat-Online!