Novidades
Início / AUXILIAR DA SEMANA - 1° TRIMESTRE 2019 / Auxiliar da Semana: Lição 03 – A Mensagem de Jesus ás Sete Igrejas – 12 a 19 de Janeiro 2019

Auxiliar da Semana: Lição 03 – A Mensagem de Jesus ás Sete Igrejas – 12 a 19 de Janeiro 2019

image_pdfFazer Downloadimage_printImprimir

 



TEXTO-CHAVE: Apocalipse 3:21

FOCO DO ESTUDO: Na semana passada examinamos a primeira das sete mensagens às sete igrejas do Apocalipse. Nesta semana, estudaremos da segunda à sétima mensagem (Ap 2:8–3:22).

INTRODUÇÃO: As mensagens às sete igrejas têm encorajado o povo de Deus ao longo dos séculos. Elas nos asseguram que Deus está intensamente interessado nas ações de Sua igreja. Ele conhece todos os seus desafios e anseia apresentar conselhos e preciosas promessas a todos que desejarem ouvir.

TEMAS DA LIÇÃO: A lição e a passagem em foco introduzem os seguintes temas:

I. O quiasmo das sete igrejas

As mensagens às sete igrejas são estruturadas segundo um estilo tipicamente hebraico (ver detalhes no comentário abaixo).

II. Encorajamento em meio às dificuldades

As mensagens às sete igrejas demonstram declínio espiritual e aumento correspondente no número e no peso das promessas feitas a cada igreja.

III. O maior avanço do cristianismo e suas consequências contemporâneas

A mensagem a Filadélfia previu um período de grande avanço missionário, porém esse avanço incluiu aspectos que colocaram o cristianismo na defensiva nos dias atuais.

IV. A mensagem a Tiatira é diferente

As igrejas como um todo exibem declínio espiritual. Isso também se manifesta nas mensagens a Éfeso, Pérgamo e Sardes. Mas a mensagem a Tiatira se desvia desse padrão em muitos aspectos.

V. Laodiceia e a era final da história da Terra

Evidências do texto apoiam a ideia de que Laodiceia representa a igreja no fim da era cristã.

APLICAÇÃO PARA A VIDA: A inclusão de Jezabel na mensagem a Tiatira convida os alunos a refletir sobre o papel das quatro mulheres no Apocalipse. Os adventistas do sétimo dia também são convidados a aplicar a si mesmos a mensagem de Laodiceia.

PARTE II: COMENTÁRIO

As mensagens para as sete igrejas têm uma estrutura comum, semelhante ao formato das cartas antigas. (1) Jesus Se dirige a cada igreja pelo nome. (2) Então, Ele Se apresenta a cada uma, usando características tiradas do capítulo 1. (3) Ele oferece uma análise dos pontos positivos e/ou fraquezas de cada igreja. (4) Jesus apresenta conselhos adequados à Sua análise de cada igreja. (5) É feito um apelo para ouvir o Espírito. (6) Cada mensagem é concluída com uma promessa ou promessas aos que vencerem. Nas mensagens da quarta à sétima igreja (começando com Tiatira), o quinto e o sexto componentes estão na ordem inversa.

EXPLICAÇÃO DOS PRINCIPAIS TEMAS DA LIÇÃO 3:

I. O quiasmo das sete igrejas

A estrutura das mensagens às sete igrejas exibe uma forma literária que se baseia na lógica hebraica. No pensamento ocidental, A + B = C. Mas na lógica hebraica, A + B = A ampliado. Essa forma literária é chamada de quiasmo (da letra grega X [pronuncia-se “qui”]). Os escritores produzem quiasmos quando raciocinam em círculo, voltando ao ponto inicial de um argumento. O primeiro ponto é paralelo ao último; o segundo ponto é paralelo ao penúltimo, e assim por diante, com o clímax no centro e não no final. Talvez não seja coincidência que a forma do candelabro de sete hastes no tabernáculo seja análoga a um quiasmo literário.

A carta para Esmirna (segunda carta) compartilha muitas semelhanças com a carta a Filadélfia (sexta carta); ambas são mensagens amplamente positivas. As cartas para Pérgamo (terceira) e Sardes (quinta) são para igrejas em declínio acentuado. A mensagem para Tiatira (a quarta igreja, localizada no centro do texto) é duas vezes maior que as outras e é diferente de todas (veja o tema 4 abaixo). Esse arranjo significa que a primeira e a última carta (para Éfeso e Laodiceia) também são paralelas. Essa estrutura sugere que Laodiceia, assim como Éfeso, sofresse de uma deficiência de amor.

II. Encorajamento em meio às dificuldades

Quando olhamos para as sete igrejas como um todo, elas parecem estar em declínio, e as repreensões de Jesus se tornam cada vez mais sérias. As igrejas em Éfeso e Esmirna são fiéis, sendo que a única falha de Éfeso é a deficiência de amor. Mas ao lermos as mensagens às igrejas, as coisas parecem declinar de Pérgamo a Sardes até chegarmos a Laodiceia, sobre a qual Jesus não encontra nada de bom para dizer. Embora a mensagem para Filadélfia seja positiva, a igreja é muito mais fraca que Esmirna. Na mensagem a Éfeso, Jesus anseia por seu arrependimento. Laodiceia faz Jesus sentir vontade de vomitar. Essa forma de descrever produziu uma expressão severa.

Mas essa expressão leva à parte mais encorajadora das mensagens às sete igrejas. A primeira igreja recebe uma promessa: a árvore da vida. A segunda recebe duas: a coroa da vida e a libertação da segunda morte. A terceira recebe três: o maná escondido, a pedrinha branca e um nome novo. A quarta igreja recebe quatro promessas; a quinta, cinco; a sexta recebe seis. Cada igreja recebe mais promessas que a anterior, e a sétima igreja, Laodiceia, recebe a promessa mais sublime de todas: sentar-se com Jesus no Seu trono.

À medida que a condição espiritual das igrejas declina, à medida que as repreensões de Jesus se tornam mais severas, as promessas aumentam cada vez mais. Quanto pior é a situação, maior é a graça e o poder de Deus. Quanto mais profundos são os problemas, mais poderosa é a atuação da graça de Jesus Cristo. Essa mensagem fala tão poderosamente para nós hoje como falou nos tempos antigos.

III. O maior avanço do cristianismo e suas consequências contemporâneas

A lição ressalta que a mensagem a Filadélfia se aplica ao grande reavivamento do protestantismo durante os séculos 18 e 19. Esse acontecimento motivou a igreja a levar o evangelho ao mundo todo, o que resultou na maior expansão do cristianismo desde o tempo do Pentecostes. Mas houve um lado negro nessa expansão. Os esforços missionários muitas vezes estavam atrelados à expansão colonial da civilização ocidental nos domínios econômico e político. Como resultado, muitos povos não cristãos nos dias atuais veem o cristianismo como uma ferramenta a serviço do imperialismo ocidental, e não como um movimento humilde e modesto que busca melhorar a vida dos outros. Essa postura se faz cada vez mais presente até nas regiões mais “cristãs” do mundo. Atualmente, o cristianismo, como um todo, está na defensiva. Nesse contexto, a manipulação ou envolvimento político de qualquer tipo por parte da igreja reforçam os estereótipos negativos que têm surgido. A mensagem do evangelho não deve contar com o apoio político e econômico para seu êxito. Seu avanço deve ser pautado no plano original de Jesus, no qual “o poder se aperfeiçoa na fraqueza” (2Co 12:9).

IV. A mensagem a Tiatira é diferente

Como mencionado antes, as igrejas do Apocalipse como um todo exibem declínio espiritual. Esse declínio também é claramente manifestado nas mensagens a Éfeso, Pérgamo e Sardes. Mas a mensagem para Tiatira se difere em muitos aspectos quanto ao padrão estrutural estabelecido nas mensagens anteriores. Em primeiro lugar, a mensagem para Tiatira é duas vezes mais longa que as outras seis. Essa extensão se ajusta ao seu papel no centro do quiasmo e ao longo período de perseguição por ela representado na história cristã. Em segundo lugar, Tiatira é a única igreja cujos membros fiéis são chamados de “restantes” (os “demais [grego: loipois] de Tiatira”, Ap 2:24), mostrando que mesmo durante esse período sombrio, Deus tinha seguidores fiéis.

Em terceiro lugar, Tiatira é a única igreja sobre a qual Jesus diz: “As tuas últimas obras, mais numerosas do que as primeiras” (Ap 2:19). Enquanto todas as igrejas anteriores estavam em declínio ou mantendo-se firme, Tiatira já estava melhorando. Colocada no centro da história das sete igrejas, essa mensagem positiva significa que Deus está tirando as pessoas da apostasia e, nas mensagens subsequentes, Ele está preparando a igreja para a segunda vinda de Jesus. Enquanto Satanás acusa os seguidores de Deus para desencorajar e distrair, Jesus e o Espírito Santo repreendem para encorajar e curar.

V. Laodiceia e a era final da história da Terra

Como adventistas do sétimo dia, com frequência consideramos que a mensagem para Laodiceia se aplica particularmente a nós no fim dos tempos. Uma das maiores evidências disso é a conexão entre Apocalipse 3:18 e Apocalipse 16:15. Nenhum outro texto na Bíblia contém as quatro principais palavras encontradas em ambas as passagens. Ambos os versículos contêm as palavras gregas para “vejas” (grego: blepô), “vestiduras” (grego: himation), “vergonha” (grego: aischunê, aschêmosunê) e “nudez” (grego: gumnotês, gumnos). Essa inclusão é um paralelo impressionante. Em meio aos versos que falam do Armagedom (Ap 16:14-16), há um chamado para a vigilância no fim dos tempos na linguagem de Laodiceia (Ap 16:15; compare com Ap 3:18). Esse chamado é uma evidência impressionante de que Laodiceia representa a igreja no período final da história da Terra.

PARTE III: APLICAÇÃO PARA A VIDA

1. Quantas mulheres são retratadas no livro do Apocalipse e qual é o papel delas na mensagem do livro? Há quatro mulheres retratadas: duas são imagens positivas e duas são negativas. A primeira é Jezabel, a líder da oposição aos fiéis em Tiatira (Ap 2:20-23). A segunda é a mulher piedosa de Apocalipse 12 (Ap 12:1, 2, 5, 6, 14-17). A terceira é a meretriz Babilônia (Ap 17:1-7, 16). A quarta é a noiva do Cordeiro (Ap 19:7, 8). Todas as quatro estão associadas à igreja positiva ou negativamente. Jezabel, a oponente de Tiatira, antecede a meretriz Babilônia, que está vestida como o sumo sacerdote (Ap 17:4). Se a primeira parte de Tiatira representa a igreja medieval, então as duas imagens estão intimamente relacionadas. A oposição a Cristo com frequência tem um semblante cristão.

Da mesma forma, a mulher de Apocalipse 12 representa o povo fiel de Deus ao longo da história – simbolizada pela Nova Jerusalém. A esposa do Cordeiro em Apocalipse 19:7, 8 representa os fiéis de Deus no fim da história – simbolizados pela nova Jerusalém. Portanto, é evidente que a mulher de Apocalipse 17 representa todos aqueles que se opõem a Deus, especialmente os poderes religiosos que se unem com poderes seculares do mundo para formar uma Babilônia do tempo do fim. “Mulher” no Apocalipse representa os que professam ser seguidores de Cristo, mas dependendo de qual mulher, a profissão pode não ser sincera.

2. Como os adventistas do sétimo dia devem aplicar a mensagem de Apocalipse 3:18-21 a si mesmos? O que podemos aprender com o texto? O ouro pode expressar o valor que temos aos olhos de Deus, bem como a fé que passou por um processo de refinamento e purificação. As vestes brancas representam a justiça de Cristo que nos é dada; o colírio, o discernimento espiritual que nos ajuda a ver claramente nossa necessidade de Cristo.

Embora as repreensões de Jesus sejam necessárias (Ap 3:19), Ele nunca força ninguém a segui-Lo. Ele gentilmente convida e deixa a decisão para nós (Ap 3:20), e mantém Suas promessas. Se convidamos Jesus a governar nosso coração e a vencer (Ap 3:21), participaremos do Seu trono. Conforme expresso pelo ouro provado no fogo, Deus vê infinito valor em nós.

3. Que encorajamento encontramos no fato de que muitos cristãos antigos permaneceram fiéis a Deus em meio a cidades ímpias?

sobre Portal da Escola Sabatina Online

O Portal da Escola Sabatina Online, Foi criado no dia 31 de Dezembro 2016 com o único intuito é incentivar a todos interessados a estudarem a LES e lhe concedendo a oportunidade de terem acessos diariamente pela via online. Todos os conteúdos do Portal é extremamente de máxima qualidade! Direção: Thiago A. de Oliveira - Baixo Guandu/ES.

Além disso, verifique

Informativo das Missões (Adultos): Salvando Angola – 23 de Março 2019

Fazer DownloadImprimir  FAZER DOWNLOAD AQUI Download: Vídeo 120x720p (26 MB) Download: Vídeo 640x360p (8,5 MB) …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×

Portal da Escola Sabatina Online

Seja Bem-Vindo(a), Estude diariamente as Lições da Escola sabatina da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

× Fale Conosco!