Novidades
Início / COMENTÁRIOS DE ELLEN WHITE - 1° TRIMESTRE 2019 / Comentários de Ellen White: Lição 05 – Os Sete Selos – 26 de Janeiro a 02 de Fevereiro 2019

Comentários de Ellen White: Lição 05 – Os Sete Selos – 26 de Janeiro a 02 de Fevereiro 2019

image_pdfFazer Downloadimage_printImprimir

 



SÁBADO A TARDE – 26 DE FEVEREIRO 2019 – INTRODUÇÃO

Os que entrarem na cidade de Deus receberão na fronte a coroa de ouro. Essa será uma cena jubilosa, a qual nenhum de nós pode correr o risco de perder. Lançaremos nossas coroas aos pés de Jesus, e Lhe daremos glória, louvando Seu santo nome. Anjos se nos unirão nos cânticos de triunfo. Dedilhando suas harpas de ouro, encherão todo o Céu de rica música e hinos ao Cordeiro (Nos Lugares Celestiais [MM 1968], p. 221).

A cruz de Cristo será o cântico dos remidos por toda a eternidade. No Cristo glorificado eles contemplarão o Cristo crucificado. Jamais se esquecerão de que Aquele cujo poder criou e manteve os inumeráveis mundos através dos vastos domínios do espaço, o Amado de Deus, a Majestade do Céu, Aquele a quem querubins e resplendentes serafins se deleitavam em adorar – humilhou-Se para levantar o homem decaído; que Ele carregou a culpa e a vergonha do pecado e Se escondeu da face de Seu Pai, até que as misérias de um mundo perdido Lhe quebrantaram o coração e aniquilaram a vida na cruz do Calvário. O fato de o Criador de todos os mundos, o Árbitro de todos os destinos, deixar Sua glória e humilhar-Se por amor do homem, despertará eternamente a admiração e a adoração do Universo. Ao olharem as nações dos salvos para o seu Redentor e contemplarem a glória eterna do Pai resplandecendo em Seu semblante; ao verem o Seu trono que é de eternidade em eternidade, e saberem que Seu reino não terá fim, irrompem em canção: “Digno, digno é o Cordeiro que foi morto, e nos remiu para Deus com Seu mui precioso sangue!” (O Grande Conflito, p. 651).

Não se alcança posição no reino de Deus mediante favoritismo. Não é adquirida nem recebida mediante concessão arbitrária. É o resultado do caráter. A coroa e o trono são a prova de uma condição conquistada – prova do domínio do eu por meio da graça de nosso Senhor Jesus Cristo.

Muito tempo depois, quando João havia sido levado à apreciação de Cristo mediante participação nos Seus sofrimentos, o Senhor Jesus lhe revelou qual a condição de estar perto de Seu reino. “Ao que vencer”, disse Cristo, “lhe concederei que se assente comigo no Meu trono; assim como Eu venci, e Me assentei com Meu Pai no Seu trono” (Ap 3:21). Aquele que permanece mais próximo de Cristo é o que tem bebido mais profundamente de Seu espírito de amor que vai ao sacrifício – amor que “não trata com leviandade, não se ensoberbece […] não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal” (1Co 13:4, 5) – amor que atua no discípulo, como atuou em nosso Senhor, levando-O a dar tudo, a viver, a trabalhar e sacrificar-Se até à própria morte, pela salvação da humanidade (Atos dos Apóstolos, p. 543).


DOMINGO, 27 DE JANEIRO 2019 – A ABERTURA DO PRIMEIRO SELO

Anjos estão segurando os quatro ventos, representados como um cavalo furioso procurando soltar-se, e arremeter sobre a face de toda a Terra, levando destruição e morte em sua esteira. […]

Digo-vos no nome do Senhor Deus de Israel que todas as influências maléficas e desalentadoras estão sendo dominadas por mãos de anjos invisíveis, até que todos os que labutam no temor e amor de Deus sejam selados em suas frontes (Carta 138, 1897; Mensagens Escolhidas, v. 3, p. 409).

Como não sabemos o tempo exato de Sua vinda, somos advertidos a vigiar. “Bem-aventurados aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando!” (Lc 12:37, 42). Os que vigiam, à espera da vinda do Senhor, não aguardam em ociosa expectativa. A expectação da vinda do Senhor fará os homens temerem-No, bem como aos Seus juízos contra a transgressão. Deve despertá-los para o grande pecado de Lhe rejeitar os oferecimentos de misericórdia. Os que aguardam o Senhor, purificam a alma pela obediência da verdade. Com a vigilante espera, combinam ativo serviço. Como sabem que o Senhor está às portas, seu zelo é avivado para cooperar com as forças divinas para salvação de pessoas (O Desejado de Todas as Nações, p. 634).

“E, tardando o esposo, todas ficaram com sono, e adormeceram.” Pela tardança do esposo é representada a passagem do tempo em que o Senhor era esperado, o desapontamento, e a aparente demora. Neste tempo de incerteza, o interesse dos que eram superficiais e não de todo sinceros começou logo a vacilar, arrefecendo seus esforços; mas aqueles cuja fé se baseava no conhecimento pessoal da Escritura Sagrada, tinham sob os pés uma rocha que as ondas do desapontamento não poderiam derruir. “Todas ficaram com sono, e adormeceram”, uma classe na indiferença e abandono de sua fé, outra esperando pacientemente até que mais clara luz fosse proporcionada. Todavia, na noite de prova, a última pareceu perder, até certo ponto, o zelo e devoção. Os que eram medianamente dedicados e superficiais não mais puderam apoiar-se à fé dos seus irmãos. Cada qual tinha de, por si mesmo, ficar em pé ou cair (O Grande Conflito, p. 394, 395).

Em breve será travada a batalha do Armagedom. Aquele em cuja vestimenta está escrito o nome: Rei dos reis e Senhor dos senhores, conduz os exércitos do Céu montados em cavalos brancos e vestidos de linho fino, branco e puro (Eventos Finais, p. 251). Será travada a batalha do Armagedom, e esse dia não deverá surpreender nenhum de nós adormecido. Devemos estar bem despertos, como as virgens prudentes, tendo azeite em nossas vasilhas e lâmpadas. […]

O poder do Espírito Santo deve estar sobre nós, e o Capitão do exército do Senhor estará à frente dos anjos do Céu para dirigir a batalha. Ainda ocorrerão diante de nós solenes acontecimentos. Soará uma trombeta após a outra, será derramada uma taça após a outra sobre os habitantes da Terra. Cenas de estupendo interesse estão precisamente diante de nós (Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, v. 7, p. 1098).


SEGUNDA-FEIRA, 28 DE JANEIRO 2019 – SEGUNDO E TERCEIRO SELOS

Falando de Si, Cristo disse: “Não cuideis que vim trazer a paz à Terra; não vim trazer paz, mas espada” (Mt 10:34). Príncipe da paz, era Ele não obstante causa de divisão. Aquele que veio proclamar alegres novas e promover a esperança e alegria no coração dos filhos dos homens, abriu uma controvérsia que arde profundamente e desperta intensa paixão no coração humano. E Ele adverte Seus seguidores: “No mundo tereis aflições” (Jo 16:33). “Lançarão mão de vós, e vos perseguirão, entregando-vos às sinagogas e às prisões, e conduzindo-vos à presença de reis e presidentes, por amor do Meu nome. E até pelos pais, e irmãos, e parentes, e amigos sereis entregues; e matarão alguns de vós” (Lc 21:12, 16).

O mesmo espírito que nos séculos escuros enviou homens e mulheres à prisão, ao exílio, e à morte. […] está ainda agindo com maligna energia em corações não regenerados. A história da verdade tem sido sempre o relato da luta entre o direito e o erro. A proclamação do evangelho sempre tem sido levada avante neste mundo em face de oposição, perigos, perdas e sofrimentos (Atos dos Apóstolos, p. 84, 85).

O mesmo se dá hoje. Os homens lançam-se à caça de lucro e satisfação própria como se não houvesse Deus, nem Céu, nem vida futura. Nos dias de Noé foi dada a advertência do dilúvio vindouro para despertar os homens de sua impiedade e convidá-los ao arrependimento. Assim a mensagem da próxima vinda de Cristo visa a despertar os homens de seu enlevo nas coisas temporais. Destina-se a acordá-los para o senso das realidades eternas, para que atendam ao convite para a ceia do Senhor.

O mundo perece pela carência do evangelho. Há fome da Palavra de Deus. Poucos pregam a Palavra não misturada com tradições humanas. Embora tenham os homens nas mãos a Bíblia, não recebem as bênçãos que, para eles, Deus nela colocou. O Senhor chama Seus servos para levar a mensagem ao povo. A Palavra da vida eterna deve ser dada aos que perecem em seus pecados (Parábolas de Jesus, p. 228, 229).

Naquele dia, multidões desejarão o abrigo da misericórdia de Deus, abrigo que durante tanto tempo desprezaram. “Eis que vêm dias, diz o Senhor Jeová, em que enviarei fome sobre a Terra, não fome de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do Senhor. E irão vagabundos de um mar até outro mar e do Norte até ao Oriente; correrão por toda a parte, buscando a Palavra do Senhor, e não a acharão” (Am 8:11, 12; O Grande Conflito, p. 629).


TERÇA-FEIRA, 29 DE JANEIRO 2019 – A CENA DO QUARTO SELO

Anjos estão segurando os quatro ventos, representados como um cavalo furioso procurando soltar-se, e arremeter sobre a face de toda a Terra, levando destruição e morte em sua esteira. […]

Digo-vos no nome do Senhor Deus de Israel que todas as influências maléficas e desalentadoras estão sendo dominadas por mãos de anjos invisíveis, até que todos os que labutam no temor e amor de Deus sejam selados em suas frontes (Carta 138, 1897; Mensagens Escolhidas, v. 3, p. 409).

Satanás não pode […] manter em morte espiritual uma pessoa que, com fé, recebe a poderosa palavra de Cristo. Deus está dizendo a todos quantos se acham mortos em pecado: “Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos” (Ef 5:14). Essa palavra é vida eterna. Como a palavra de Deus, que ordenou ao primeiro homem viver, dá-nos ainda vida; como a de Cristo: “Jovem, eu te mando: Levanta-te”, deu a vida ao jovem de Naim, assim essa frase “Levanta-te dentre os mortos”, é vida para a pessoa que a recebe. Deus “nos tirou da potestade das trevas e nos transportou para o reino do Filho do Seu amor” (Cl 1:13). Tudo nos é oferecido em Sua palavra. Se recebemos a palavra, temos a libertação (O Desejado de Todas as Nações, p. 320).

Alguns há na igreja que precisam firmar-se às colunas de nossa fé, aprofundar-se e encontrar um fundamento sólido, em vez de vacilar na superfície da agitação, agindo por impulsos. Há na igreja dispépticos espirituais. Fazem de si mesmos inválidos; sua debilidade espiritual é resultado da própria conduta instável. São atirados daqui para lá, pelos mutáveis ventos de doutrina, ficando frequentemente confusos e lançados na incerteza por serem inteiramente movidos pelo sentimento. São cristãos sensacionalistas, sempre sedentos de alguma coisa nova e diferente; doutrinas estranhas confundem sua fé e eles são inúteis à causa da verdade.

Deus pede homens e mulheres estáveis, de propósitos firmes, nos quais se possa confiar em tempos de perigo e provação, tão firmemente arraigados e fundados na verdade como as colinas eternas, que não sejam movidos para a direita nem para a esquerda, mas que marchem sempre avante e se encontrem sempre no lado certo (Testemunhos para a Igreja, v. 4, p. 75).

O Salvador venceu para mostrar ao homem como ele pode vencer. Todas as tentações de Satanás, Cristo enfrentava com a Palavra de Deus. Confiando nas promessas divinas, recebia poder para obedecer aos mandamentos de Deus, e o tentador não podia alcançar vantagem. […]

Coisa alguma é aparentemente mais desamparada, e na realidade mais invencível, do que a alma que sente o seu nada, e confia inteiramente nos méritos do Salvador. Pela oração, pelo estudo de Sua Palavra, pela fé em Sua constante presença, a mais fraca das criaturas humanas pode viver em contato com o Cristo vivo, e Ele a segurará com mão que nunca a soltará (A Ciência do Bom Viver, p. 181, 182).


QUARTA-FEIRA, 30 DE JANEIRO 2019 – A ABERTURA DO QUINTO SELO

As ferventes orações de Seu povo serão atendidas; pois Deus Se agrada de que Seu povo O busque de todo o coração e confie Nele como seu libertador. Ele será procurado para fazer essas coisas em favor de Seu povo e Se levantará como o protetor e vingador deles. “Não fará Deus justiça aos Seus escolhidos, que a Ele clamam dia e noite?” (Lc 18:7; RH, 21/12/1897; Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, v. 6, p. 1203).

Cristo não nos deu meramente instruções quanto ao caminho em que devemos viajar, mas Ele veio para ser nosso Mestre. Não nos disse meramente como deveríamos obedecer, mas em Sua própria vida deu-nos exemplo prático de como deveríamos obedecer. Assim, Ele é um verdadeiro ajudador. Indo à nossa frente Ele abate os obstáculos e nos diz para andar em Suas pisadas. Nosso bendito Salvador declara: “Segue-Me. Eu conduzir-te-ei. ‘Eu sou o Caminho, e a Verdade, e a Vida’ (Jo 14:6). Aquele que Me segue, não andará na escuridão”. […]

“O vencedor será assim vestido de vestiduras brancas, e de modo nenhum apagarei o seu nome do Livro da Vida; pelo contrário, confessarei o seu nome diante de Meu Pai e diante dos Seus anjos” (Ap 3:5). As vestes brancas são os trajes da justiça de Cristo, e todos quantos têm essa justiça são participantes da natureza divina. Eles têm gravado sobre si, “o nome do Meu Deus, o nome da cidade do Meu Deus, a nova Jerusalém que desce do céu, vinda da parte do Meu Deus, e o Meu novo nome” (Olhando para o Alto [MM 1983], p. 176).

Ânimo, fortaleza, fé e implícita confiança no poder de Deus para salvar, não nos vêm num instante. Essas graças celestiais são adquiridas pela experiência dos anos. Por uma vida de santo esforço e firme apego à retidão, os filhos de Deus estiveram selando o seu destino. Assediados de inúmeras tentações, souberam que deveriam resistir firmemente ou ser vencidos. Compreenderam que tinham uma grande obra para fazer, e em qualquer momento poderiam ser chamados a depor sua armadura; e se chegassem ao fim de sua vida com seu trabalho inacabado, isso significaria perda eterna. Aceitaram avidamente a luz do Céu, como fizeram os primeiros discípulos, dos lábios de Jesus. Quando estes primitivos cristãos foram exilados para as montanhas e desertos; quando abandonados em masmorras para morrer de fome, de frio, ou pela tortura; quando o martírio parecia ser o único caminho para saírem de sua angústia, regozijaram-­se de que fossem considerados dignos de sofrer por amor de Cristo, que por eles foi crucificado. O digno exemplo deles será um conforto e animação para o povo de Deus, que passará por um tempo de angústia tal como nunca houve (Testemunhos para a Igreja, v. 5, p. 213).


QUINTA-FEIRA, 31 DE JANEIRO 2019 – A ABERTURA DO SEXTO SELO

A profecia do Salvador relativa aos juízos que deveriam cair sobre Jerusalém há de ter outro cumprimento, do qual aquela terrível desolação não foi senão tênue sombra. Na sorte da cidade escolhida podemos contemplar a condenação de um mundo que rejeitou a misericórdia de Deus e calcou a pés a Sua lei. […] Terríveis têm sido os resultados da rejeição da autoridade do Céu. Entretanto, cena ainda mais tenebrosa se apresenta nas revelações do futuro. Os registros do passado […] que são, em contraste com os terrores daquele dia em que o Espírito de Deus será totalmente retirado dos ímpios, não mais contendo a explosão das paixões humanas e ira satânica! O mundo contemplará então, como nunca dantes, os resultados do governo de Satanás (O Grande Conflito, p. 36, 37).

Logo nossos olhares foram dirigidos ao oriente, pois tinha aparecido uma nuvenzinha aproximadamente do tamanho da metade da mão de homem, a qual todos nós soubemos ser o sinal do Filho do homem. Todos nós em silêncio solene olhávamos a nuvem que se aproximava e se tornava mais e mais clara e esplendente, até converter-se numa grande nuvem branca. A parte inferior tinha aparência de fogo; o arco-íris estava sobre a nuvem, enquanto ao redor dela se achavam dez milhares de anjos, entoando um cântico agradabilíssimo; e sobre ela estava sentado o Filho do homem. Os cabelos, brancos e anelados, caíam-Lhe sobre os ombros; e sobre a cabeça tinha muitas coroas. Os pés tinham a aparência de fogo; em Sua destra trazia uma foice aguda e na mão esquerda, uma trombeta de prata. Seus olhos eram como chamas de fogo, que profundamente penetravam Seus filhos. Todos os rostos empalideceram; e o daqueles a quem Deus havia rejeitado se tornaram negros. Todos nós exclamamos então: “Quem poderá estar em pé? Estão as minhas vestes sem mancha?” Então os anjos cessaram de cantar, e houve algum tempo de terrível silêncio, quando Jesus falou: “Aqueles que têm mãos limpas e coração puro serão capazes de estar em pé; Minha graça vos basta.” Com isto nos iluminou o rosto e encheu de alegria o coração. E os anjos tocaram mais fortemente e tornaram a cantar, enquanto a nuvem mais se aproximava da Terra (Primeiros Escritos, p. 15, 16).

Mas quem poderá suportar o dia da Sua vinda? E quem poderá subsistir quando Ele aparecer? Porque Ele é como o fogo do ourives e como a potassa dos lavandeiros (Ml 3:2).

Aqueles que professam ser filhos e filhas de Deus deveriam representá-­Lo no caráter. […] É-nos concedida agora a oportunidade para formar caráter que nos capacite para entrada no reino do Céu. Aqueles que guardam os mandamentos de Deus terão direito à árvore da vida e atravessarão os portões da cidade. Com amor Deus nos deu uma lei para que possamos conhecer e eliminar aqueles traços de caráter que não podem ser tolerados no Céu. Ninguém pode entrar ali sob acusação de roubo, adultério, maledicência ou negócios duvidosos, pois isso conduziria a outra guerra no Céu. A lei de Deus foi dada para afastar os homens dessas práticas, a fim de que seu caráter pudesse ser moldado segundo o caráter de Deus (Olhando para o Alto [MM 1983], p. 106).


SEXTA-FEIRA, 01 DE FEVEREIRO 2019 – ESTUDO ADICIONAL

*Testemunhos para Ministros e Obreiros Evangélicos, “A Necessidade do Mundo”, p. 457-459.*

*Nos Lugares Celestiais, “Habilitando-nos para as Mansões Celestiais”, p. 292.

sobre Portal da Escola Sabatina Online

O Portal da Escola Sabatina Online, Foi criado no dia 31 de Dezembro 2016 com o único intuito é incentivar a todos interessados a estudarem a LES e lhe concedendo a oportunidade de terem acessos diariamente pela via online. Todos os conteúdos do Portal é extremamente de máxima qualidade! Direção: Thiago A. de Oliveira - Baixo Guandu/ES.

Além disso, verifique

Informativo das Missões (Adultos): Saudades de Deus – 04 de Maio 2019

Fazer DownloadImprimir  Quando foi abandonada pelo marido, Cecília sentiu-se devastada. Ela estava com 30 anos, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×

Portal da Escola Sabatina Online

Seja Bem-Vindo(a), Estude diariamente as Lições da Escola sabatina da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

× Fale Conosco!