Novidades
Início / COMENTÁRIOS DE ELLEN WHITE - 1° TRIMESTRE 2019 / Comentários de Ellen White: Lição 10 – O Evangelho Eterno de Deus – 02 a 09 de Março 2019

Comentários de Ellen White: Lição 10 – O Evangelho Eterno de Deus – 02 a 09 de Março 2019

image_pdfFazer Downloadimage_printImprimir

 



SÁBADO A TARDE – 02 DE MARÇO 2019 – INTRODUÇÃO

Em comparação com os milhões do mundo, o povo de Deus será, como tem sido sempre, um pequeno rebanho; mas se permanecerem na verdade como revelada em Sua Palavra, Deus será seu refúgio. Permanecerão sob o amplo abrigo da Onipotência. Deus é sempre a maioria. Quando o som da última trombeta penetrar a prisão dos mortos, e os justos saírem triunfantes, exclamando: “Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória” (1Co 15:55), para permanecerem então com Deus, com Cristo, com os anjos e com os leais e fiéis de todos os tempos, os filhos de Deus serão a grande maioria (Atos dos Apóstolos, p. 590).

As perplexidades hão de crescer; nós, porém, como crentes em Deus, animemo-nos uns aos outros. Não abaixemos a norma, antes conservemo-­la erguida, olhando para Aquele que é o Autor e Consumador de nossa fé.

Todos nós necessitamos de mais coragem cristã, a fim de erguermos a norma em que se acham escritos os dez mandamentos de Deus e a fé de Jesus. Não devemos transigir com os dirigentes da rebelião. […] Precisamos ter firme determinação de fazer a vontade do Senhor em todos os tempos e em todos os lugares. […]

Seja escrito na consciência como o faria um ponteiro de ferro sobre a rocha, que o verdadeiro êxito, seja nesta vida seja na futura, só pode ser assegurado pela fidelidade aos princípios eternos da justiça (Filhos e Filhas de Deus [MM 1956, 2005], p. 215).

A obra de pregar o evangelho não foi cometida aos anjos, mas confiada aos homens. Santos anjos têm sido empregados na direção desta obra; têm eles a seu cargo os grandes movimentos para a salvação dos homens; mas a proclamação do evangelho propriamente dita é efetuada pelos servos de Cristo sobre a Terra (O Grande Conflito, p. 312).

Estamos próximos do fim da história da Terra, e os diferentes aspectos da obra de Deus devem ser levados avante com muito maior sacrifício do que ocorre no presente. A obra para estes últimos dias é, em sentido especial, uma obra missionária. A apresentação da verdade presente, desde a primeira letra do seu alfabeto até a última, significa esforço missionário. A obra a ser feita clama por sacrifício a cada passo. Desse serviço abnegado os obreiros sairão purificados e refinados como o ouro provado no fogo.

A cena das pessoas que perecem no pecado deve estimular-nos a empregar maior esforço para comunicar a luz da presente verdade aos que estão nas trevas, principalmente àqueles que se acham em campos nos quais muito pouco foi feito até agora para construir monumentos para Deus. A obra que deveria ter sido feita há muito tempo em todas as partes do mundo, deve ser iniciada agora e levada avante até sua conclusão (Testemunhos para a Igreja, v. 7, p. 52).


DOMINGO, 03 DE MARÇO 2019 – AS TRÊS MENSAGENS ANGÉLICAS

A proclamação das mensagens do primeiro, segundo e terceiro anjos foi colocada pela Palavra da Inspiração. Nem uma cavilha, nem um alfinete deve ser removido. Nenhuma autoridade humana tem mais direito de mudar a colocação dessas mensagens do que teria de substituir o Antigo Testamento pelo Novo. O Antigo Testamento é o evangelho em figuras e símbolos. O Novo Testamento é o corpo, ou substância. Um é tão essencial como o outro. O Antigo Testamento apresenta lições dos lábios de Cristo, e essas lições não perderam em particular algum a sua força. A primeira e a segunda mensagens foram dadas em 1843 e 1844, e encontramo-nos agora sob a proclamação da terceira; mas todas as três mensagens devem ainda ser proclamadas. É simplesmente tão essencial agora como antes que elas sejam repetidas aos que estão buscando a verdade. Pela pena e pela palavra devemos fazer soar a proclamação, mostrando-lhes a ordem, e a aplicação das profecias que nos trazem à mensagem do terceiro anjo. Não pode haver terceira sem primeira e segunda. Estas mensagens devemos dar ao mundo em publicações, em discursos, mostrando em termos de história profética as coisas que aconteceram e as que hão de acontecer (Mensagens Escolhidas, v. 2, p. 104, 105).

A comissão dada aos discípulos também nos é dada a nós. Hoje, como então, um Salvador crucificado e ressuscitado deve ser exaltado perante os que se acham sem Deus e sem esperança no mundo. O Senhor pede pastores, mestres e evangelistas. De porta a porta têm Seus servos que proclamar a mensagem de salvação. A toda nação, tribo, língua e povo as novas de perdão por Cristo devem ser levadas. Não de maneira fraca e sem vida se há de pregar a mensagem, mas com clareza, decisão e veemência. Centenas estão esperando a advertência para escapar e salvar a vida. O mundo necessita de ver nos cristãos uma evidência do poder do cristianismo. Não somente em poucos lugares, mas em todo o mundo são necessárias mensagens de misericórdia (Obreiros Evangélicos, p. 29).

Os anjos são representados como voando pelo meio do céu, proclamando ao mundo uma mensagem de advertência, e tendo relação direta com o povo que vive nos últimos dias da história terrestre. Ninguém ouve a voz desses anjos, pois eles são símbolo do povo de Deus a trabalhar em harmonia com o Universo celeste. Homens e mulheres, iluminados pelo Espírito de Deus e santificados por meio da verdade, proclamam as três mensagens em sua ordem (Mensagens Escolhidas, v. 2, p. 387).

Em voz clara, determinada, disse o mensageiro: “Pergunto: Que vocês estão fazendo? Oh! Se vocês compreendessem! Oh! Se entendessem a importância da advertência e o que ela significa para vocês e o mundo! Se compreendessem, se fossem cheios do espírito Daquele que deu a vida pela vida do mundo, cooperariam com Ele, fazendo sinceros, abnegados esforços para salvar pecadores” (Mensagens Escolhidas, v. 1, p. 92).


SEGUNDA-FEIRA, 04 DE MARÇO 2019 – A PRIMEIRA MENSAGEM ANGÉLICA: PARTE 1

A mensagem do primeiro anjo de Apocalipse 14, anunciando a hora do juízo de Deus e apelando para os homens a fim de O temer e adorar, estava destinada a separar o povo professo de Deus das influências corruptoras do mundo, e despertá-lo a fim de ver seu verdadeiro estado de mundanismo e apostasia. Deus enviou à igreja, nesta mensagem, uma advertência que, se fosse aceita, teria corrigido os males que a estavam separando Dele. Houvessem os homens recebido a mensagem do Céu, humilhando o coração perante o Senhor, buscando com sinceridade o preparo para estar em pé em Sua presença, o Espírito e poder de Deus teriam sido manisfestado entre eles. A igreja de novo teria atingido o bendito estado de unidade, fé e amor, que houve nos dias apostólicos (O Grande Conflito, p. 379).

Os seguidores de Cristo hoje devem guardar-se da tendência de perder o espírito de reverência e piedoso temor. As Escrituras ensinam como devem os homens aproximar-se de seu Criador: com humildade e temor, mediante a fé num mediador divino. O salmista declarou:

“O Senhor é Deus grande,

E Rei grande acima de todos os deuses. […]

Ó, vinde, adoremos, e prostremo-nos;

Ajoelhemos diante do Senhor que nos criou” (Sl 95:3, 6).

A verdadeira reverência a Deus é inspirada pelo senso de Sua infinita grandeza e a noção de Sua presença. Com este senso do invisível, todo coração deve sentir-se profundamente impressionado. A ocasião e o lugar de oração são sagrados, porque Deus está ali. E ao ser a reverência manifestada em atitude e comportamento, o sentimento que a inspira será aprofundado. “Santo e tremendo é o Seu nome” (Sl 111:9), declara o salmista. Os anjos, quando pronunciam este nome velam o rosto. Com que reverência, então, não devemos nós, que somos pecadores e caídos, tomá-lo em nossos lábios! (Profetas e Reis, p. 48, 49).

Deve haver um exame de coração, profundo e fiel. O espírito leviano e frívolo, alimentado por tantos cristãos professos, deve ser deixado. Há uma luta intensa diante de todos os que desejam subjugar as más tendências que insistem no predomínio. A obra de preparação é uma obra individual. […] Examinará Ele o caso de cada indivíduo, com um exame tão íntimo e penetrante como se não houvesse outro ser na Terra. Cada um deve ser provado, e achado sem mancha ou ruga, ou coisa semelhante.

Solenes são as cenas ligadas à obra final da expiação. Momentosos, os interesses nela envolvidos. O juízo ora se realiza no santuário celestial. Há muitos anos esta obra está em andamento. Breve, ninguém sabe quão breve, passará ela aos casos dos vivos. Na augusta presença de Deus nossa vida deve passar por exame. Atualmente, mais do que em qualquer outro tempo, importa a toda alma atender à admoestação do Salvador: “Vigiai e orai; porque não sabeis quando chegará o tempo” (Mc 13:33). “Se não vigiares, virei a ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei” (Ap 3:3; O Grande Conflito, p. 490).


TERÇA-FEIRA, 05 DE MARÇO 2019 – A PRIMEIRA MENSAGEM ANGÉLICA: PARTE 2

“E vi outro anjo voar pelo meio do céu, e tinha o evangelho eterno, para o proclamar aos que habitam sobre a Terra, e a toda a nação, e tribo, e língua, e povo. Dizendo com grande voz: Temei a Deus e dai-Lhe glória; porque vinda é a hora do Seu juízo. E adorai Aquele que fez o céu e a Terra, e o mar, e as fontes das águas” (Ap 14:6, 7).

Essa mensagem, caso seja atendida, chamará a atenção de toda nação, e tribo e língua e povo a um acurado exame da Palavra, e à verdadeira luz quanto ao poder que mudou o sábado do sétimo dia para um sábado falso. O único Deus verdadeiro tem sido abandonado, Sua lei, rejeitada, Sua sagrada instituição do sábado foi pisada no pó pelo homem do pecado. O quarto mandamento, tão claro e explícito, foi passado por alto. O memorial do sábado, que declara quem é o Deus vivo, o Criador dos céus e da Terra, foi violentamente arrancado, e foi dado ao mundo, em seu lugar, um sábado falso. Assim foi feita uma brecha na lei de Deus. Um sábado falso não podia ser estandarte verdadeiro (Mensagens Escolhidas, v. 2, p. 105, 106).

Os primeiros quatro mandamentos ordenam ao homem seu dever de servir o Senhor nosso Deus com todo o coração, com toda a alma, e de todo o pensamento, e com todas as forças. Isso envolve o homem todo. Requer tão fervente amor, tão intenso, que o homem não pode acariciar em seu espírito ou afeições, coisa alguma que esteja em rivalidade com Deus. […]

Jeová, o Ser eterno, existente por Si mesmo, não criado, sendo o originador e mantenedor de todas as coisas, é o único que tem direito a reverência e culto supremos. Proíbe-se ao homem conferir a qualquer outro objeto o primeiro lugar nas suas afeições ou serviço. O que quer que acariciemos que tenda a diminuir nosso amor para com Deus, ou se incompatibilize com o culto a Ele devido, disso fazemos um deus (Filhos e Filhas de Deus [MM 1956/2005], p. 56).

Nosso Deus é um Pai amoroso e misericordioso. Os cultos a Ele dedicados não deveriam ser vistos como uma atividade triste e cansativa. Louvar ao Senhor e desempenhar uma parte em Sua obra devem ser um prazer. Deus não quer que Seus filhos, para quem proveu tão grande salvação, ajam como se Ele fosse um chefe duro e exigente. Ele é seu melhor amigo, e deseja Se relacionar com Seus filhos quando vão adorá-Lo para abençoá-los, confortá-los e encher seu coração de alegria e amor. O Senhor deseja que Seus filhos encontrem conforto ao servi-Lo, e mais prazer do que dificuldades em Seu trabalho. Ele deseja que aqueles que O adoram levem consigo os preciosos pensamentos sobre Seu cuidado e amor, para que possam estar animados em todas as ocupações da vida diária, e recebam a graça necessária para lidar sincera e fielmente com todas as coisas (Caminho a Cristo, p. 103).


QUARTA-FEIRA, 06 DE MARÇO 2019 – A SEGUNDA MENSAGEM ANGÉLICA

Próximo do fim da mensagem do segundo anjo, vi uma grande luz do Céu resplandecendo sobre o povo de Deus. Os raios desta luz pareciam brilhantes como o Sol. Ouvi as vozes dos anjos, clamando: “Aí vem o Esposo! Saí-Lhe ao encontro!” (Mt 25:6).

Este foi o clamor da meia-noite, que deveria dar poder à mensagem do segundo anjo. Foram enviados anjos do Céu a fim de estimular os santos desanimados, e prepará-los para a grande obra que diante deles estava. […] Os que estavam encarregados deste clamor apressaram-se, e no poder do Espírito Santo fizeram soar a mensagem, e despertaram seus desanimados irmãos. Esta obra não se mantinha pela sabedoria e erudição de homens, mas pelo poder de Deus, e Seus santos que ouviam o clamor não podiam resistir a ele. Os mais espirituais recebiam esta mensagem em primeiro lugar, e os que tinham anteriormente tomado parte na chefia do trabalho eram os últimos a receber e ajudar a avolumar o clamor. […]

Em toda a parte do país, foi proporcionada luz acerca da mensagem do segundo anjo, e o clamor amoleceu o coração de milhares. Foi de cidade em cidade, e de vila em vila, até que o povo expectante de Deus ficasse completamente desperto. Em muitas igrejas não foi permitido dar-se a mensagem, e uma grande multidão que tinha o vívido testemunho deixou essas igrejas decaídas. Uma poderosa obra foi realizada pelo clamor da meia-noite (Primeiros Escritos, p. 238).

Os homens agem como se tivessem recebido liberdade especial de cancelar as decisões de Deus. Os estudiosos da Alta Crítica põem-se no lugar de Deus e revisam a Palavra de Deus alterando-a ou endossando-a. Dessa forma todas as nações são induzidas a beber do vinho da fornicação de Babilônia. Esses proponentes da Alta Crítica acertaram as coisas de modo a adaptar-se às heresias populares destes últimos tempos. Se não podem subverter e torcer a Palavra de Deus, se não podem ajustá-la a práticas humanas, eles a despedaçam (Olhando para o Alto [MM 1983], p. 25).

E outro anjo seguiu, dizendo: Caiu! Caiu Babilônia, aquela grande cidade que a todas as nações deu a beber do vinho da ira da sua prostituição!” (Ap 14:6-8). Como é isso realizado? Forçando os homens a aceitar um sábado falso. No trigésimo primeiro capítulo de Êxodo, é-nos dito claramente qual dia é o sábado sagrado de Deus. A guarda do sábado é declarada ser um sinal de lealdade por parte do povo de Deus (Testemunhos para a Igreja, v. 8, p. 94).

A Escritura Sagrada declara que Satanás, antes da vinda do Senhor, operará “com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira, e com todo o engano da injustiça”; e “os que não receberam o amor da verdade para se salvarem” serão deixados à mercê da “operação do erro, para que creiam a mentira” (2Ts 2:9-11). A queda de Babilônia se completará quando esta condição for atingida, e a união da igreja com o mundo se tenha consumado em toda a cristandade. A mudança é gradual, e o cumprimento perfeito de Apocalipse 14:8 está ainda no futuro (O Grande Conflito, p. 389, 390).


QUINTA-FEIRA, 07 DE MARÇO 2019 – A TERCEIRA MENSAGEM ANGÉLICA

O terceiro anjo está voando pelo meio do céu, anunciando os mandamentos de Deus e a fé de Jesus. Isso representa a obra que precisa ser feita nestes últimos dias. A mensagem nada perde de sua força em seu voo. João viu o trabalho crescendo em poder até que toda a Terra se enchesse da glória de Deus. A mensagem: “Temei a Deus e guardai os Seus mandamentos, porque vinda é a hora do Seu juízo”, deve ir avante com grande voz. Os seres humanos devem com intensificado zelo e energia levar adiante a obra do Senhor. No lar, na escola e na igreja, homens, mulheres e jovens devem achar-se preparados para dar a mensagem ao mundo (Filhos e Filhas de Deus [MM 1956, 2005], p. 207).

A mais terrível ameaça jamais endereçada aos mortais está contida na terceira mensagem angélica. Deve ser esse um terrível pecado que atrai a ira Deus, sem mistura de misericórdia. Os homens não deverão ser deixados em trevas quanto a este importante assunto; a advertência contra tal pecado deve ser dada ao mundo antes da visitação dos juízos de Deus, para que todos possam saber por que são esses juízos infligidos, e tenham oportunidade de escapar.

No desfecho dessa grande controvérsia, duas classes distintas e opostas se desenvolverão. Se uma classe “adorar a besta e a sua imagem, e receber o sinal”, traz sobre si mesma os terríveis juízos anunciados pelo terceiro anjo. A outra classe, em marcante contraste com o mundo, guarda “os mandamentos de Deus e a fé de Jesus” (Ap 14:9, 12; História da Redenção, p. 383).

Enquanto a Terra está envolta nos fogos da destruição, os justos habitam em segurança na Santa Cidade. Sobre os que tiveram parte na primeira ressurreição, a segunda morte não tem poder. Ao mesmo tempo em que Deus é para os ímpios um fogo consumidor, é para o Seu povo tanto Sol como Escudo (Ap 20:6; Sl 84:11).

“Vi um novo céu, e uma nova Terra. Porque já o primeiro céu e a primeira Terra passaram” (Ap 21:1). O fogo que consome os ímpios, purifica a Terra. Todo vestígio de maldição é removido. Nenhum inferno a arder eternamente conservará perante os resgatados as terríveis consequências do pecado.

Apenas uma lembrança permanece: nosso Redentor sempre levará os sinais de Sua crucifixão. Em Sua fronte ferida, em Seu lado, em Suas mãos e pés, estão os únicos vestígios da obra cruel que o pecado efetuou. Diz o profeta, contemplando Cristo em Sua glória: “Raios brilhantes saíam da Sua mão, e ali estava o esconderijo da Sua força” (Hc 3:4; O Grande Conflito, p. 673, 674).


SEXTA-FEIRA, 08 DE MARÇO 2019 – ESTUDO ADICIONAL

*O Grande Conflito, “O Último Convite Divino”, p. 603-612.*

*Primeiros Escritos, “O Movimento do Advento Ilustrado”, p. 240-244.*

sobre Portal da Escola Sabatina Online

O Portal da Escola Sabatina Online, Foi criado no dia 31 de Dezembro 2016 com o único intuito é incentivar a todos interessados a estudarem a LES e lhe concedendo a oportunidade de terem acessos diariamente pela via online. Todos os conteúdos do Portal é extremamente de máxima qualidade! Direção: Thiago A. de Oliveira - Baixo Guandu/ES.

Além disso, verifique

Informativo das Missões (Adultos): Salvando Angola – 23 de Março 2019

Fazer DownloadImprimir  Paulo deixou a mãe extremamente zangada, quando abandonou o emprego e decidiu evangelizar …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×

Portal da Escola Sabatina Online

Seja Bem-Vindo(a), Estude diariamente as Lições da Escola sabatina da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

× Fale Conosco!