Novidades
Início / COMENTÁRIOS PARA ADOLESCENTES / Comentários para Adolescentes: Lição 06 – Sentindo Compaixão – 05 a 12 de Maio 2018

Comentários para Adolescentes: Lição 06 – Sentindo Compaixão – 05 a 12 de Maio 2018

Print Friendly, PDF & Email

 

 



SÁBADO A TARDE – 05 DE MAIO 2018 – VOCÊ CONTRATARIA O “INCONTRASTÁVEL”?

Olá Galera!

Vamos começar com nosso verso bíblico central, e já aproveito para desafiá-lo a decorar, para que sempre que lembrarmos esse verso, as lições dessa história venham em nossa memória!
Este é nosso verso:
“Por isso, mesmo tendo em Cristo plena liberdade para mandar que você cumpra o seu dever, prefiro fazer um apelo com base no amor.” Filemom 1:8, 9.

Imaginem comigo a seguinte situação.
Você, uma pessoa poderosa, dono de uma empresa muito rica, com muitos funcionários. Certo dia descobre que um dos seus funcionários lhe “passou a perna” e roubou uma quantia em dinheiro considerável de sua empresa lhe dando um prejuízo muito grande. Sem poder fazer acusações ao funcionário devido à falta de provas concretas, você apenas o demite. Imaginou?
Continue imaginando… Passado dois anos um amigo seu muito influente, chega com o “funcionário ladrão” pedindo que você o recontrate. Mas, ele não pede isso pela influência, e sim pelo amor. O que você faria sabendo de tudo o que o funcionário já havia feito?

A história que será à base das nossas reflexões essa semana é muito parecida com a que você imaginou.
O nome do nosso “funcionário ladrão” é Onésimo. Seu patrão? Filemom. O amigo influente? Paulo.
Mas o que aconteceu? Filemom contratou novamente seu antigo funcionário e ladrão Onésimo?
Veremos o desenrolar dessa história durante essa semana!

Pense: O que é compaixão? Você pensa que a compaixão é necessária para termos uma comunidade melhor? Que diferença faria se a nossa igreja fosse mais compassiva?

Decisão: Leia com atenção essa história na Bíblia para continuarmos! Ela está em Filemom 1:4-21.
Decisão: Decida aprender um pouco mais o que é compaixão e a durante essa semana se entregar de coração a isso. A ser compassivo. O olhar para o próximo com mais amor e atenção.


DOMINGO, 06 DE MAIO 2018 – VALE A PENA FUGIR?

Olá!
Como está sendo seu dia? Tudo bem com você? Queremos pedir que você pare agora uns minutinhos e ore a Deus pedindo que nos dê compreensão, entendimento da Palavra que vamos continuar estudando. Ore.. Pronto! Orou? Então lá vamos nós mais uma vez!

Se você aceitou o desafio de ontem e leu nossa história, já sabe o que aconteceu. Se não aceitou, ou está lendo apenas hoje, pare um minuto, e leia na sua Bíblia Filemom 1:4-21.
Agora quero que pense na história.
Nós não podemos deixar de notar nessa história o fato de que o “funcionário ladrão” Onésimo havia sim cometido um erro. Na seção “FLASH” da lição, lemos que Onésimo era um escravo pagão que havia lesado o seu senhor. Isso mesmo, lesado.

Você sabe o que o texto quer dizer aqui quando coloca a expressão “lesado”? Segundo o dicionário online Priberam, “Lesado” tem como significado “causar lesão a”, “ofender, molestar”, “ofender a reputação”, dentro outros significados mais. O que percebemos na história é que o escravo pagão Onésimo lesou a seu senhor. Não podemos afirmar com total certeza que tipo de lesão foi essa, mas temos uma evidencia de que a lesão envolveu danos financeiros.

Na carta que Paulo escreveu a Filemom, ele diz que se Onésimo havia causado algum dano, ou devesse alguma coisa a seu senhor Filemom, que “lançasse tudo e sua conta”. Percebemos aqui então que Paulo estava ciente de que Onésimo havia sim cometido um erro, e um erro que o fez fugir.

Você já parou para pensar no tanto de erros que hoje você já cometeu? E sim, quando digo erros, não estou dizendo apenas erros “mais graves”, se assim podemos dizer, como roubar algo, como matar, ou qualquer outro erro nessa “amplitude”. Quero dizer aqui erros considerados pequenos também, mas que também nos tirarão do céu. Uma mentirinha, ser desonesto com o próximo, matar aulas na escola, desobedecer aos pais, ter um namoro que não seja conforme a vontade, e vários outros que você, assim como eu, sabe quais são.

É interessante como assim como Onésimo quando errou, quando erramos temos a mesma atitude que ele, nós fugimos. É natural fugirmos porque não queremos ser condenados. Não queremos as vezes assumir a nossa culpa. Mas nos esquecemos de um aspecto que faz total diferença na nossa vida se compreendermos corretamente: o perdão.

Deus é tão maravilhoso, nos ama tanto, é tão cheio de compaixão que não importa o que fizemos, Ele não quer que nós fujamos dEle, e sim, que corramos para junto de seus braços que estarão sempre abertos para nós.
Se você está acostumado a fugir de Deus quando erra, ainda há tempo, não faça mais isso. Deus está com os braços abertos e quer te ajudar, te amparar. O seu amor é maior que qualquer coisa, Ele “tanto nos amou que deu seu Único Filho, para que se crermos nEle, não venhamos a perecer, mas tenhamos a vida eterna”.

Pense: No que você tem “lesado” o seu próximo e a ti mesmo? O que tem feito você “lesar” o teu relacionamento com Deus? Quantas vezes você fugiu de Deus? Você acredita em um Deus que está de braços abertos para você?

Decisão: Deus não quer te acusar, Ele quer sim te amparar. Te desafio a dobrar seus joelhos e clamar a Deus pedindo que te perdoe e te ajude a nunca fugir, mas a permanecer no melhor lugar do mundo, aos pés do Salvador.


SEGUNDA, 07 DE MAIO 2018 – NÃO FIQUE PARADO!

Mais uma vez aqui estamos para juntos aprendermos de Deus e como devemos agir em nossa vida segundo as lições que estamos aprendendo.
Vocês se lembram da nossa história de sábado? Lembram-se do personagem ladrão? Do Presidente e do amigo influente?
Lembram também que perguntei o que você faria como presidente da empresa?

O que você faria se a história acontecesse com você? Se um amigo intercedesse em favor de alguém que te magoou, que te lesou, que te causou muito dano qual seria sua atitude? Acredito que eu pensaria duas, três, quatro, cinco e por aí vai o número de vezes. Não é uma situação tão comum e fácil, mas é uma situação que envolveu um aspecto que nós como cristãos deveríamos aprender a cultivar. A ter como atitude. A compaixão!
No domingo você foi desafiado a dizer o que é compaixão. Você sabe realmente o que é compaixão? Vou tentar ajudar aqui com uma definição e também pensarmos juntos em coisas práticas para termos realmente essa compaixão e usá-la sem medo.

Compaixão tem algumas definições, das quais uma delas é que compaixão é um “sentimento de pesar que nos causam os males alheios, bem como uma vontade de ajudar o próximo. Sentimento de simpatia ou de piedade para com o sofrimento alheio, associado a vontade ou ao desejo de auxiliar de alguma forma: doar dinheiro para campanhas humanitárias é uma atitude que envolve muita compaixão”. Enfim, podemos traduzir compaixão como sendo o ato de se colocar no lugar do outro, compadecer-se com e pelo o outro. Uma característica que como cristão devemos ter.

Logo ser compassivo significa demonstrar profunda empatia pelo sofrimento de outras pessoas e fazer de tudo para ajudar. Como seguidores e imitadores de Cristo, precisamos agir com misericórdia e piedade, mesmo com aqueles que alguma vez já nos prejudicaram. Isso não quer dizer que vamos permitir que a injustiça prevaleça. Mas ao nos depararmos com o arrependimento sincero, devemos agir com compaixão e espírito perdoador, procurando, sempre que possível, restaurar o relacionamento.

Pense: Sabendo o que é a compaixão e que como seguidores de Cristo precisamos exercer essa característica do amor, pense em como você, seus amigos, sua igreja, podem demonstrar compaixão na comunidade em que vivem, nas pessoas que estão ao redor necessitando de um pouco de compaixão. Lembre que a compaixão é um dos modos de levar o Evangelho às pessoas. Ser luz, seguir os passos de Jesus Cristo.

Decisão: No próximo sábado na classe da escola sabatina dê ideias a seus professores de classe, desafie a direção da igreja, chame seu pastor, se envolva, tenha atitude. Dê ideias de como demonstrar compaixão na comunidade, ajudando os que necessitam. Vão algumas ideias: doação de alimentos para montar cesta básica. Junte um grupo e vá levar esperança através de músicas, serenatas. Faça um “sopão” para moradores de rua que padecem de fome. Doe agasalhos em tempo de frio. Enfim, use a sua criatividade para levar esperança demonstrando compaixão. Acima de tudo: Não fique parado enquanto a um mundo que padece em escuridão.


TERÇA, 08 DE MAIO 2018 – O GRANDE ADVOGADO

Dentre as cartas que o apostolo Paulo escreveu que se encontram na bíblia, se acha uma pequena carta endereçada a uma pessoa por nome Filemom. A carta consiste num pedido de Paulo a Filemom para que ele aceite novamente seu antigo escravo que se chamava Onésimo. Onésimo havia defraudado Filemom de alguma forma, mas Paulo vendo a mudança em Onésimo pediu a Filemom que colocasse os débitos de Onésimo em sua conta e aceitasse novamente aquele que o prejudicou (Filemom vs. 17 e 18).

Tenho que revelar algo pra vocês neste texto: Eu sou filho Único! Alguns podem dizer: Que sorte, eu não gostaria de ter irmãos, eles são chatos e temos que dividir tudo com eles! Mas sabe, eu queria ter um irmão mais novo, sabe por quê? Toda vez que eu fazia algo errado eu pensava: Se tivesse um irmão mais novo eu poderia colocar a culpa nele ou pelo menos dividi-la com ele, nossa que maldade!

Mas “fala serio”, quem é que nunca fez isso? Colocar a culpa em alguém pra aliviar o seu castigo? Na verdade o que mais a gente vê nos dias de hoje são pessoas se dando bem nas custas de outras, é assim na escola, na família, nos negócios e às vezes até na igreja, difícil mesmo é a gente promover as pessoas, considera-las como melhores do que nós mesmos.

Essa pequena carta de Paulo a Filemom, na verdade tem como destinatário a todos nós. Na história Onésimo era um escravo, mas ao invés de Paulo “chutar o cachorro morto” (piorar a situação) ele pede a Filemom que aceite Onésimo de volta.
Sabe gente, isso é muito importante, pense em Jesus ele poderia nos ter nos deixado de lado quando pecamos, mas ao contrário disso ele veio a este mundo, deu sua vida por nós (filipenses 2:5-8), e assim como Paulo fez com Onésimo, Jesus o grande advogado intercede nossa causa junto ao Pai no trono celestial IIJoão 2: 1 e 2.

Depois dessa história penso que se eu tivesse um irmão poderia defendê-lo e pedir ao meu pai que não considerasse suas falhas, poderia me oferecer para pagar o seu castigo, interceder por ele, assim como fez Paulo com Onésimo e assim como faz Jesus Cristo conosco a cada dia!

Pense: Será que ao invés de condenar as pessoas pelos seus erros eu não deveria orar por elas? Quando eu fico sabendo de algo errado que alguém fez eu converso com a pessoa e dou conselhos a ela ou eu logo espalho a notícia?

Decisão: A partir de hoje quero ser uma pessoa mais amiga e quero orar mais por cada um de meus amigos!


QUARTA, 09 DE MAIO 2018 – MARGINAL POR UM DIA

Você já foi chamado de marginal? Eu já!!
Estudava numa escola onde havia muitos meninos que pixavam paredes e usavam drogas, um dia estava com meus amigos, sentado na porta de uma papelaria em frente à escola e o dono nos confundiu com esses alunos delinquentes e nos expulsou nos chamando de marginais. Sabe, foi muito ruim ser chamado daquela forma, mas, naquele tempo eu ainda não sabia o significado da palavra marginal, ou, pelo menos não todos os significados.

Segundo o dicionário português Michaelis, marginal pode ser entendido como “aquele que está à margem, ou seja, deixado à margem”, isso me fez pensar em alguém que está sendo deixado de lado, esquecido, posto de canto para que não provoque nenhum incomodo.

Jesus contou uma história de um homem que havia sido esquecido justamente por pessoas que eram de sua mesma crença, do mesmo grupo étnico. Certo homem foi fazer uma viagem e na mesma ele foi assaltado, apanhou bastante dos ladrões e eles levaram seu dinheiro, “deixando-o semimorto” Lc.10:30. O texto bíblico ainda nos mostra que quando esses colegas de fé encontraram o homem necessitado eles o deixaram à margem, (verso 31 e 32). Agora acho que você está mais preparado para responder a pergunta feita no começo: Você já foi chamado de marginal, ou já foi tratado como um? Já foi deixado de lado por alguém? Talvez por um amigo ou amigo, pelo grupo que você participa ou ainda pela sua própria família? Se sim seja bem vindo ao clube dos marginais!

Onde eu moro é comum receber uma carona dos amigos para chegar à faculdade, mas houve vezes de passar um amigo e não oferecer a carona, quando isso ocorre me lembro daquele dia na porta da escola. Mas sabe pessoal, Jesus nunca deixou ninguém desamparado, “… Aquele que vier a mim de modo algum o laçarei fora” Jo 6:37 Pra você que se sente sozinho Jesus é o bom samaritano que nunca deixa ninguém que busque seu auxilio às margens da vida. Por sua vez devemos fazer o mesmo com aqueles que precisam de nossa ajuda.

Pense: Tem você desprezado alguém sem perceber? Quando você seus amigos estão organizando um evento quem deve fazer parte da lista dos convidados? Só os mais populares?
Quando chega uma visita na igreja, qual é a reação?

Decisão: Hoje eu quero mandar uma mensagem de carinho para alguém que foi rejeitado e cumprir a parte que me corresponde quanto a não rejeitar ninguém.


QUINTA, 10 DE MAIO 2018 – VOCÊ PODE MAIS DO QUE IMAGINA!

O que está nos impedindo de carregar os fardos de alguém ou de ajudarmos os que estão ao nosso redor? Como posso mudar isso e ser mais compassivo?
Como o mundo seria diferente hoje se mais pessoas tivessem compaixão umas com as outras?

Li uma história certa vez em um site. A história da Dona Tina.
Dona Tina, assistente social aposentada, continuou ajudando pessoas de maneira muito peculiar e sensível, oferecendo conforto e amor à muitos dependentes químicos que vivem na Cracolândia – lugar onde o consumo de crack torna essas pessoas invisíveis aos olhos da sociedade.
Ela oferece nada menos que abraços, o que poderíamos dizer que é o mais difícil dos dependentes conseguirem, já que acabam esquecendo o significado dessa demonstração de amor. Por esse carinho e compaixão, Dona Tina é totalmente respeitada, quando ela chega, todos os consumidores apagam seus cachimbos de crack.
Essa é a história da Dona Tina. Simples, mas que marca vida de pessoas.

Por vezes nós pensamos que para ser compassivo, para ajudar o próximo é preciso muito. Se não pensamos que é preciso muito, colocamos na cabeça que atos de bondade e amor só devem ser feitos durante programas que a igreja realiza como Missão Calebe, projetos de recolta, doação de alimentos, entrega de folhetos. Todas são atividades fantásticas e que devem ser realizadas sempre que possível.
Mas te pergunto: até quando você vai ficar parado esperando dos outros uma atitude que pode e deve partir de você?

Sabemos que a igreja as vezes parece ser “chata”, não cria nada para os adolescentes e jovens, não tem programas, atividades sociais, não faz trabalho missionário. E você pode até usar a desculpa de que é por isso que não dá pra demonstrar a tão sonhada compaixão. Mas te pergunto novamente. Até quando vai ficar parado? Você pode fazer. Seu grupo de amigos pode bolar atividades. Leve esperança. Cresçam juntos espiritualmente. Vocês tem garra.

Você, adolescente, você que está lendo. Você tem a garra, a força de vontade, tem saúde para fazer a obra do Senhor.
Lembre-se, João em uma de suas cartas escreveu para você hoje também. Ele disse: “Jovens, eu vos escrevi, porque sois fortes, e a Palavra de Deus permanece em vós, e tendes vencido o Maligno” (I João 2:14).
Não se esqueça, Deus te chamou para a obra dEle. Você é escolhido para ser “sal e luz” nesse mundo que padece em trevas.

Pense: Você tem forças e pode fazer a diferença. Você é instrumento de Deus escolhido por Ele. Você é forte! Assim como João disse, avalie sua vida e veja se você está firmado na Palavra de Deus, e vença. Mostre compaixão ao seu próximo. Brilhe para Jesus!

Decisão: Não fique parado. Coloque suas ideias em prática sem medo. Como já citei alguns exemplos na segunda feira, se desafie. Desafie seus líderes, seus professores da classe da escola sabatina. Acima disso, junte você mesmo seus amigos e os lidere para ir avante e brilhar por Jesus mostrando compaixão aos que te cercam.


SEXTA, 11 DE MAIO 2018 – QUEM É QUEM NESSA HISTÓRIA?

Mas ele (Deus) busca as ovelhas e cordeiros que mais ansiedade lhe causaram e absorveram mais profundamente sua compaixão. Conselhos aos pais professores e estudantes pg.198

Este texto de Ellen G. White me faz lembrar a história contada por Jesus sobre o filho pródigo (prodigo significa gastador, esbanjador), especialmente a parte sobre o filho mais velho. Vejamos os pontos dessa história, veja Lc.15:12. Em primeiro lugar o texto nos diz que o pai repartiu a herança, ou seja, não somente o filho gastador recebeu a sua parte, mas também o filho “certinho”; em segundo lugar o texto nos mostra que embora o filho mais novo estivesse iludido com supostas novas oportunidades, seu irmão revelava um caráter egoísta e prepotente – Pai eu nunca fiz nada de errado, diz o filho mais velho! Lc. 15:29. Isso é importante saber por que a bíblia nos mostra que não foi só o caçula e sim os dois irmãos que se deram mal.

Um dia desses o gastador voltou sem nada, falido, sem amigos ou dinheiro, voltou apenas com uma fagulha de esperança na bondade do pai. Agora entram em cena os reclamos do filho mais velho: Esse teu filho gastou todo seu dinheiro e agora quer voltar pra nossa família? Lc. 15: 30. Como pode? Mesmo se a volta do filho perdido fosse um prejuízo vale lembrar que o prejuízo seria do pai e dele, uma vez que também havia recebido a sua parte da herança. Mas a razão disso é que assim como esse acusador nenhum de nós se acostuma com a ideia de termos que dividir o nosso espaço, ninguém quer saber quantos estão saindo pelas portas dos fundos, melhor assim, menos um da concorrência!

Gente, a coisa é séria! Muito séria! Se você virar apenas uma página de sua bíblia (ou talvez nem precise) vai encontrar outras duas histórias anteriores a essa, são elas: a da ovelha perdida, da dracma (uma moeda) perdida e então por fim a do filho perdido. Em todos os casos quem estava perdido foi achado. A ovelha foi achada, a moeda foi achada, o filho gastador foi achado, mas o texto não diz nada acerca do filho mais velho, sabe por quê? Porque segundo ele próprio não estava perdido, olha pessoal este texto nos ensina que quem está realmente perdido é que se julga melhor que os outros. Na lição desta semana aprendemos grandes coisas sobre compaixão, mas eu convido a vocês que levem isso a sério, vamos fazer a diferença nesse mundo escuro!

Pense: Quando olho pra alguém, vejo os seus erros ou o seu potencial nas mãos de Deus? Há alguém que procurou em você um ombro amigo e você não deu atenção?

Decisão: : A partir de hoje decido não julgar as pessoas pela aparência e a ser mais compassivo com aqueles que estão em dificuldades.

Facebook Comments

sobre Escola Sabatina

Além disso, verifique

Comentários para adolescentes: Lição 12 – Marcas de Identificação – 16 a 23 de Junho 2018

    SÁBADO A TARDE- 16 DE JUNHO 2018 – GUERRA Olá amigos, espero que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fale Conosco!