Novidades
Início / COMENTÁRIOS PARA ADULTOS - 3° TRIMESTRE 2018 / Comentários para Adultos: Lição 07 – A Primeira Viagem Missionária de Paulo – 11 a 18 de Agosto 2018

Comentários para Adultos: Lição 07 – A Primeira Viagem Missionária de Paulo – 11 a 18 de Agosto 2018

Print Friendly, PDF & Email

 



SÁBADO A TARDE – 11 DE AGOSTO 2018 – INTRODUÇÃO

A perseguição promovida pelo Sinédrio e comandada por Saulo resultou na fuga dos crentes para Fenícia, Chipre e Antioquia, onde pregaram o evangelho de Jesus Cristo aos judeus, nas sinagogas, porém, alguns helenistas falaram também aos gregos e houve muitas conversões.

Saulo, já convertido e depois de algumas tentativas de testemunhar, havia retornado a Tarso. A notícia do crescimento da fé entre gentios em Antioquia chegou aos apóstolos em Jerusalém, que enviaram Barnabé, “homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé” (Atos 11:24) para confirmar e acrescer os ensinos do Senhor Jesus aos novos crentes e aos que fossem sendo convertidos. Após de algum tempo de trabalho – c. ano 42 d.C., percebendo que “a seara é grande” (Lucas 10:2), Barnabé foi a Tarso procurar Saulo e convidá-lo a participar da missão. Trabalham mais um ano em Antioquia e, então, como convém a todo e qualquer empreendimento na “seara” do Senhor, os profetas e mestres, em serviço e oração, ouvem o Espírito Santo que diz “Separai-me, agora, Barnabé e Saulo, para a obra a que os tenho chamado”(Atos 13:2).

Com jejum, oração e imposição das mãos, os despedem para o que podemos classificar como a primeira ação missionária da igreja cristã e aí, começa o que os estudiosos chamam de “a primeira viagem missionária de Paulo”, um itinerário por terra e mar, de aproximados 3 a 4 anos, passando por oito grandes centros populacionais, onde deixaram congregações com multidões de convertidos e fundaram igrejas, nas casas e nas sinagogas.

Alguns detalhes devem ser destacados: primeiro: na nomeação do chamado o Espírito Santo dá primazia ao nome de Barnabé; segundo: a descrição da viagem não nos indica os meios de transporte, mas é provável que os caminhos terrestres tenham sido feitos à pé ou em animais, como de Antioquia a Selêucia, de Perge a Antioquia da Pisídia, a Icônio, a Listra, a Derbe e desta a Antioquia da Pisídia, já em retorno e daí a Derbe (ou Atália), portos próximos e os trechos entre Selêucia a Salamina e desta a Pafos e depois a Perge, e no retorno, de Perge (ou Atália) para Antioquia da Síria, foram por navegação, percorrendo mais de 1.540 quilômetros

Pense: “Oh, como necessitamos da Presença divina! Para o batismo do Espírito Santo cada obreiro deve estar emitindo sua oração a Deus. Grupos devem reunir-se para pedir a Deus auxílio especial, sabedoria celestial, para que o povo de Deus saiba como planejar, orientar e executar a obra. Especialmente devem os homens orar para que o Senhor escolha Seus instrumentos, e batize Seus missionários com o Espírito Santo” (EGW, RP [MM 1956, 22/05], p. 151.2).

Desafio: Clamar para que sejamos todos abençoados pelo Espírito Santo em nós, pela vontade de Deus.


DOMINGO, 12 DE AGOSTO 2018 – SALAMINA E PAFOS

Atos 13 e 14 relata a primeira viagem missionária, planejada de forma intencional pela igreja de Antioquia, onde os fiéis foram chamados pela primeira vez, cristãos, ou seja, seguidores de Cristo, cumprindo o ide de Jesus.

Destaque-se que essa ação não é resultado de iniciativa de seres humanos, mas diretamente de Deus, servindo-se do momento de comunhão, quando a igreja orava e jejuava, para cumprir a missão que Jesus deixara “e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judeia e Samaria, e até os confins da Terra” (Atos 1:8).

O Espírito Santo falou à igreja, e apontou Barnabé e Saulo como separados para o trabalho que Ele já lhes designara. A disposição de aceitação imediata é possível deduzir da continuidade do relato que registra mais oração, jejum e imposição de mãos, tornando-os separados, abençoados e autorizados a agir em nome da igreja.

Começam suas atividades em Chipre, a oeste da ilha, em Salamina, por ser a região mais próxima vindo de Antioquia. Barnabé era de Chipre e o evangelho já chegara ali por outros discípulos que fugiram das perseguições em Jerusalém. Porém, sempre era necessário mais doutrinamento para compreensão plena do evangelho, bem como para a conversão de novos fieis.

De Salamina se dirigem a Pafos, onde Lucas destaca dois personagens com reações diferentes, como sempre acontece quando o evangelho é exposto de modo claro, persuasivo e real, oposição ou aceitação. O mágico judeu Barjesus, também conhecido como Elimas, tentou dissuadir o governador local Sérgio Paulo, que estava sinceramente interessado em atender aos apelos da verdade em Cristo Jesus.

A repreensão de Paulo a Elimas resultou em sua cegueira temporária, o que impressionou de forma favorável ao governador que, segundo Lucas, “creu, maravilhando-se da doutrina do Senhor” (Atos 13:12).

Pense:Não é sem luta que Satanás permite ser o reino de Deus estabelecido na Terra… Assim foi quando Sérgio Paulo, o procônsul de Chipre, estava ouvindo a mensagem do evangelho… e agora as forças do mal, operando por intermédio de Elimas, o encantador, procuravam com malignas sugestões desviá-lo da fé, e impedir assim o propósito de Deus”. (EGW, AA, p. 92.5).

Desafio: Não ser envolvido pelas demonstrações de força e poder do inimigo. Deus é nosso escudo e proteção.


SEGUNDA-FEIRA, 13 DE AGOSTO 2018 – ANTIOQUIA E PISÍDIA: PARTE I

Barnabé e Paulo deixam Chipre em direção à Antioquia da Pisídia, desembarcam em Perge. Atos 13:13 informa o retorno de João Marcos, sem explicar os motivos. Ellen White afirma que João Marcos desanimou-se com a possibilidade de sofrimentos que certamente os aguardava (Atos dos Apóstolos, p. 94.1). As dificuldades que enfrentaremos estão expostas por Jesus a todos seus seguidores e, especialmente se referindo a Saulo, a Ananias (Marcos 10:34; Atos 9:16).

A partir desse ponto, Lucas dá primazia ao nome de Paulo nas narrativas e não mais Barnabé. E em Atos 13:13-41 traz o primeiro registro de um sermão de Paulo, num sábado, na sinagoga, convidado a falar, se levanta e fala da eleição de Israel e do reinado de Davi (Atos 13:13-23), fazendo uma ponte entre o conhecimento e crenças dos presentes com a mensagem que objetivava transmitir. Num segundo momento, apresenta as profecias messiânicas e demonstra que Jesus Cristo é o cumprimento dessas promessas de Deus a Israel dadas pelos profetas (Atos 13:23-27) e, finalmente, chama a atenção de seus ouvintes para não rejeitarem a salvação que lhes é oferecida por Jesus. (Atos13:38-41)

A mensagem central do discurso paulino está nos versículos 38 e 39, quando apresenta que todos os erros cometidos somente podem receber real perdão em Jesus. O perdão que traz o alívio e o refrigério ao pecador e a certeza de forças para vencer as batalhas que se seguirão. Paulo afirma: só em Jesus há perdão e que a lei não pode realizar isso. Não está aí afirmação que possa levar à conclusão de que a lei foi abolida, mas a compreensão de que a função da lei é de indicar a retidão ou não dos caminhos do ser humano.

Pense:Nada além da justiça de Cristo pode dar-nos direito às bênçãos do concerto da graça. Muitos há que durante longo tempo têm desejado e procurado obter essas bênçãos, mas não as têm recebido, porque têm acariciado a ideia de que podiam fazer algo para se tornarem dignos das mesmas”. Atos dos Apóstolos 4:12”. (EGW, PP, p. 314.5).

Desafio: Receber o perdão em Jesus para viver, perdoado e restaurado, na presença do Onipotente.


TERÇA-FEIRA, 14 DE AGOSTO 2018 – ANTIOQUIA E PISÍDIA: PARTE II

Como dissemos ontem, a pregação de Paulo não foi pela abolição da lei, porque substituída pela morte vicária de Cristo ou por outra afirmação qualquer, coisa que ele não fez. O que Paulo pretendia que seus ouvintes compreendessem é que a função da lei não é salvar (Romanos 8:3), pois, a salvação vem pela obediência total e perfeita dos preceitos da lei de Deus, e essa obediência somente pode ser oferecida por Jesus e nenhum outro ser humano conseguiu (Gálatas 3:10). Pois a lei não leva o seu conhecedor a essa obediência e, portanto, não justifica nenhum pecador. E justificação não é obtida por mérito de qualquer criatura, mas apenas e tão somente pela fé no sacrifício expiatório de Jesus (Gálatas 2:16).

A ferramenta mais eficaz de Satanás na igreja é o partidarismo, pois essa divisão (o nome do conceito já diz: partido, quebrado, dividido) leva ao sentimento de liderança e daí aos de domínio, poder, distinção, invejas, ciúmes, facções, dissensões e até à idolatria e feitiçaria (Gálatas 5:20). Paulo viu isso acontecer entre o seu primeiro sermão em Antioquia da Pisídia, “num sábado”, quando os ouvintes pediram que eles (Paulo e Barnabé) tornassem a lhes falar “sábado seguinte” (Atos 13:42), mas nesse sábado tanto vieram grande número de gentios – incircuncisos, quanto judeus ”cheios de inveja, e blasfemando, contradiziam o que Paulo falava” (Atos 13:45).

Dessa forma e de conluio político com as autoridades locais, conseguiram afastar Paulo e Barnabé, mas não sem antes testemunhar a alegria e a formação de novas criaturas em uma multidão de pessoas que aceitaram a mensagem do perdão e salvação em Jesus.

Pense: “Como a mensagem do evangelho se espalhasse na Pisídia, judeus incrédulos de Antioquia, em seu cego preconceito, “incitaram algumas mulheres religiosas e honestas, e os principais da cidade, e levantaram perseguição contra Paulo e Barnabé, e os lançaram” (Atos 13:50) fora daquele distrito”.(EGW, AA, p. 97.3).

Desafio: Levar o evangelho que lhe trouxe a salvação a todos os lugares e circunstâncias.


QUARTA-FEIRA, 15 DE AGOSTO 2018 – ICÔNIO

Expulsos de Antioquia da Pisídia por uma multidão estimulada pelos líderes da comunidade e judeus de influência junto às autoridades, Paulo e Barnabé deixaram a cidade, porém cheios de alegria e do Espírito Santo (Atos 13:52), pois viram a operação Dele junto a judeus e gentios que ficaram plenos de regozijo do evangelho recebido.

Paulo irá insistir em primeiro apresentar o evangelho aos judeus, pois seu primeiro sermão demonstrou sua crença na eleição de Israel e a verdade de que deles viria o Messias, como descendente e herdeiro do reino de Davi. Ainda mais, vendo que alguns judeus haviam crido, ele acreditava na existência de um remanescente e que mais judeus aceitariam Jesus como seu salvador e redentor.

Os apóstolos não voltaram, mas sim, foram adiante em sua viagem para a cidade de Icônio, onde refizeram seus procedimentos e ir, no sábado, à sinagoga e aí falar aos judeus e gentios tementes a Deus. Mais uma vez, grande número de pessoas aceitaram a mensagem. E, mais uma vez, judeus que não aceitaram a pregação de Paulo e Barnabé provocaram dissensão e tumulto, levando as autoridades e gentios a manifestarem o desejo de apedrejá-los.

Notificados sobre essa intenção, fugiram para Listra e Derbe e circunvizinhança, onde anunciaram o evangelho (Atos 14:6 e 7).

Pense: “Os apóstolos, entretanto, não recuaram de sua missão; pois muitos estavam aceitando o evangelho de Cristo. Enfrentando a oposição, inveja e preconceito foram eles avante com sua obra, “falando ousadamente acerca do Senhor”; e Deus “dava testemunho à palavra de Sua graça, permitindo que por suas mãos se fizessem sinais e prodígios”. Atos 14:3. Essas evidências da aprovação divina tinham poderosa influência sobre aqueles cuja mente estava aberta à convicção, e multiplicavam-se os conversos ao evangelho.”(EGW, AA, p. 98.2).

Desafio: Nunca recuar em seu testemunho do perdão, salvação e justificação em Jesus.


QUINTA-FEIRA, 16 DE AGOSTO 2018 – LISTRA E DERBE

Expulsos de Icônio, dirigiram-se a Listra, onde Paulo curou um paralítico de nascimento. O texto nos esclarece alguns detalhes desse fato: primeiro: o paralítico ouviu Paulo e, certamente pela atenção desse homem, Paulo teve sua atenção voltada para ele; segundo: Paulo, pelo Espírito Santo, percebe que esse paralítico tinha fé para receber a cura; terceiro: Paulo não o toma pelos braços e o faz andar, mas ordena-lhe “levanta-te direito sobre teus pés”; quarto: o homem obedeceu imediatamente “E ele saltou, e andava” (Atos 14:10).

Esse fato levou as multidões a crerem que Paulo e Barnabé eram os deuses Mercúrio e Júpiter e, imediatamente se propuseram a apresentar sacrifícios de touros em adoração a eles, o que provocou neles uma reação de indignação e recusa, mas que tiveram alguma dificuldade para dissuadi-los de sua intenção idólatra.

Aparentemente a aglomeração popular em torno de Paulo e Barnabé mais uma vez atraiu a atenção de judeus incrédulos, além de que vieram de Antioquia e Icônio outros judeus, os quais tomaram Paulo e o apedrejaram e, após considera-lo morto, o arrastaram para fora da cidade para abandoná-lo ali, e ao ser rodeado por discípulos, levantou-se e no dia seguinte, ele e Barnabé tomaram o caminho de volta, passando pelas cidades de Listra, Icônio e Antioquia da Pisídia.

Nessa viagem de retorno, confirmaram os conversos nas doutrinas e na fé, incentivaram a permanecerem na graça e testemunharem, e de enfrentariam tribulações até entrar no reino de Deus, bem como providenciaram, com jejuns e oração, a escolha de anciães em cada igreja.

Pense:Paulo não se esquecia das igrejas que havia estabelecido. Depois de fazerem uma viagem missionária, Paulo e Barnabé repassavam seu caminho, visitavam as igrejas que haviam estabelecido, escolhendo delas homens a quem pudessem preparar a fim de se unirem na proclamação do evangelho.
Esse aspecto da obra de Paulo contém uma importante lição para os ministros de hoje. O apóstolo estabeleceu como parte de seu trabalho educar jovens para o encargo do ministério”.
(EGW, AA, p. 204.4)

Desafio: Enfrentar as tribulações que possam advir pela decisão de viver a fé e, ainda assim, crescer na graça.


SEXTA-FEIRA, 17 DE AGOSTO 2018 – PONTOS DE REFLEXÃO

Deus não nos promete uma vida de facilidades e benesses, mas sim, que qualquer que seja o caminho, Ele estará conosco e será a nossa força e vitória. Isto fica muito claro na experiência pessoal de Paulo, tanto como perseguidor e assim, espalhou o evangelho por muitas partes ainda não atingidas, como convertido, quando a ele foram impingidos muitas provações e sofrimentos.

Há uma guerra cósmica e que envolve poderes e potestades muito além de nossas visões e compreensões, mas há também uma guerra intensa e, muitas vezes, de muitas batalhas, por uma única alma, como foi demonstrado na exposição do evangelho ao governador Sérgio Paulo em Pafos. Porém, a vitória, para cada ser humano, será para o lado que essa alma escolher. A escolha é sua, é minha. Cada um de nós decide se, nessa guerra pela alma humana, a vitória estará com Deus ou com o inimigo.

Ao cumprir a missão de testemunhar (Mateus 28:18-20, Atos 1:8), muitas vezes o discípulo enfrentará oposição não só de outra crença ou visão de mundo, mas de partidarismos mesmo entre seus irmãos de fé e envolvendo autoridades eclesiásticas e políticas.

É dever de cada discípulo estar preparado para enfrentar as tribulações e vencê-las, pois, Jesus garantiu que Ele venceu o mundo (João 16:33). Que o relato da primeira viagem missionária de Paulo nos inspire a isso.

Pense: “Ora, irmãos, vós vos tendes educado tanto em dúvidas e suspeitas que tendes de educar vossa alma no âmbito da fé. Tendes de falar de fé, tendes de viver pela fé, tendes de agir pela fé, para que tenhais um aumento de fé”. (EGW, FO, p. 68.3)

Desafio: Fazer de seu dia-a-dia um caminho de fé, de falar de fé, de viver pela fé e de agir pela fé.

sobre Portal da Escola Sabatina Online

O Portal da Escola Sabatina Online, Foi criado no dia 31 de Dezembro 2016 com o único intuito é incentivar a todos interessados a estudarem a LES e lhe concedendo a oportunidade de terem acessos diariamente pela via online. Todos os conteúdos do Portal é extremamente de máxima qualidade! Direção: Thiago A. de Oliveira - Baixo Guandu/ES.

Além disso, verifique

Informativo das Missões (Adultos): O Teste – 27 de Outubro 2018

  Aos 19 anos, Pheara decidiu testar Deus. Ele já estava frequentando a igreja adventista, …

um comentário

  1. Bom dia, irmao! Nao consigo os audios da liçao, porque?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fale Conosco!!