Novidades
Início / COMENTÁRIOS PARA ADULTOS - 1° TRIMESTRE 2019 / Comentários para Adultos: Lição 07 – As Sete Trombetas – 09 a 16 de Fevereiro 2019

Comentários para Adultos: Lição 07 – As Sete Trombetas – 09 a 16 de Fevereiro 2019

image_pdfFazer Downloadimage_printImprimir

 


https://mais.cpb.com.br/wp-content/uploads/2019/01/7-750x736.jpg


SÁBADO A TARDE – 09 DE FEVEREIRO 2019 – INTRODUÇÃO

Comentário por : Gerson Benedito Prado

Na abertura do quinto selo é revelado que o povo de Deus sofre opressão e morte que os faz clamarem ao SENHOR “Até quando, ó Soberano Senhor?” e vemos que um mensageiro lhes diz que devem aguardar por pouco tempo, quando Deus traria a julgamento todas as obras de todos os homens, de todas as épocas e, como dissemos na lição 05 – “Os sete selos”, Deus pedirá contas do sangue de todos os justos, desde o justo Abel até o último fiel que tenha sofrido opressão por sua fé e fidelidade a Deus.

O Cordeiro abre o sexto selo que evidencia o cumprimento de inúmeros sinais profetizados por servos de Deus e pelo próprio Cristo, sinais que assinalam o tempo que os santos mortos devem aguardar. É o tempo que finaliza as profecias com tempo determinado – Daniel 7:25 e 8:14, e todos são alertados pelos eventos que anunciam a proximidade da volta de Cristo e quando serão selados os que não conhecerão a morte, cujo número é 144.000.

A sequência da visão mostra a abertura do sétimo selo e são apresentadas sete trombetas que revelam que Deus interveio, está intervindo e intervirá em favor de Seus servos fieis oprimidos. E elas nos mostram que todo o Céu está atento ao sofrimento, opressão, dor, sacrifício e morte a que o povo de Deus é submetido por não se curvar diante das pretensões do inimigo.

Para completar a obra de Deus, ao povo santo se fez obrigatório “comer” o livro de Daniel, doce na boca, pois revelava a brevidade do dia do retorno de Cristo, mas amargo no estômago, porque o entendimento errado sobre o evento referido, os faz experimentar o grande desapontamento. Mas a verdade de Deus é completa e uma só, conforme registrada em Sua Palavra.

Pense: “Alguma obra final e decisiva, seja qual for a importância e solenidade de que seja acompanhada, está às portas. Há uma importância relacionada com a conclusão de cada uma das obras de Deus. Tal ato marca uma era solene e importante”. (Uriah Smith, Daniel e Apocalipse, p. 525.3).

Desafio: Aguardar ainda um pouco de tempo para Deus completar Sua obra, se necessário for.


DOMINGO, 10 DE FEVEREIRO 2019 – AS ORAÇÕES DOS SANTOS

No sétimo selo, sete anjos estão prontos a tocar suas trombetas. Outro anjo se apresenta, portando um incensário de ouro e lhe é dado muito incenso, cuja fumaça sobe do altar de ouro à presença do Altíssimo e do Cordeiro, com as orações dos santos. Depois o incensário é atirado à terra, produzindo trovões, vozes, relâmpagos e terremotos.

Semelhantemente no santuário terrestre, no sacrifício da tarde um sacerdote levava o incensário de ouro com incenso diante do altar de ouro e, ao sair, jogava o incensário ao chão, com forte barulho. Então sete sacerdotes tocavam trombetas, marcando o fim dos serviços sagrados do dia.

A simbologia é que o anjo com o incensário de ouro assinala o fim da intercessão no santuário celeste com o arremesso dele à terra.

As sete trombetas representam os juízos de Deus sobre a humanidade e são a resposta Divina às orações dos santos. São os juízos sobre aqueles que fizeram sofrer e oprimiram os servos de Deus. As trombetas historiam os acontecimentos desde a morte de Cristo até voltar à Terra.

Ezequiel, em sua visão, recebeu ordem para ir ao fogo existente embaixo do querubim, retirar dali brasas e espalhá-las sobre Jerusalém. Também o anjo ao lançar sobre a terra o incensário com o fogo do altar, produzindo muitas calamidades.

Se a fumaça do incenso representa as orações dos justos rogando julgamento dos seus opressores, a ausência do incenso anuncia o fim da intercessão de Cristo, como Advogado e Sumo Sacerdote. É proclamado o decreto: “11Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, seja santificado ainda. 12E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra” (Apocalipse 22:11-12).

Pense: “Têm-me chegado cartas perguntando se tenho qualquer esclarecimento especial quanto ao tempo do fim de graça; e respondo que tenho apenas esta mensagem a dar; que agora é tempo de trabalhar, enquanto é dia, pois a noite vem, quando ninguém pode trabalhar”. (EGW, ME, v. 1, p. 191.2).

Desafio: Ainda que esteja sob o altar da perda e opressão, mantenha-se firme na fé de que Deus vela por você.


SEGUNDA-FEIRA, 11 DE FEVEREIRO 2019 – O SIGNIFICADO DAS TROMBETAS

Da mais longínqua antiguidade o uso do som foi importante assinalador dos feitos humanos. Desde o acariciante sussurrar da brisa ou do suave sopro da mãe sobre o filhinho, até o sibilante vento das tempestades, dos trovões tonitruantes, causando medo e fuga para esconderijos. Nas batalhas, como no sonido das sete trombetas e no grito que marcou a queda das indestrutíveis e inexpugnáveis muralhas de Jericó.

Deus instruiu o uso do som das trombetas na saída para a guerra, para livrá-los da opressão e que fossem salvos do inimigo mais poderoso. Era também demonstração de alegria, nas festas solenes e nos holocaustos e como memorial da aliança de Deus com seu povo (Números 10:8-10). Testemunho do cumprimento da promessa de que o sonido das trombetas era faria o SENHOR lutar a batalha a favor de seu povo foi quando guerrearam as tribos do norte contra o reino de Judá, a vitória do remanescente ocorreu após o som das trombetas e o grito de Judá (II Crônicas 13:14-15).

As trombetas anunciavam “o dia do SENHOR vem, já está perto” (Joel 2:1), dia de juízo. E Apocalipse declara que serão julgados no som das trombetas: todos que habitam a Terra e que não foram selados por Deus (Apocalipse 8:13 e 9:4); os adoradores de demônios e de ídolos, criminosos não arrependidos, feiticeiros, prostitutos de corpo e alma e ladrões (Apocalipse 9:20-21).

As trombetas acompanham a história desde João até seu fim. As duas primeiras são os juízos sobre as nações participantes da crucifixão de Cristo e da perseguição de Sua igreja; a terceira e quarta anunciam os juízos executados contra a igreja cristã apostatada no período da supremacia papal; a quinta e sexta apresentam os juízos sobre os sectarismos e sincretismos do fim da idade média e da pós-reforma, a qual levaria a humanidade à batalha do Armagedom.

Pense: “Apocalipse 6 e 7 são muito significativos. Terríveis são os juízos de Deus revelados. Os sete anjos estavam em pé diante de Deus para receber sua incumbência. Foram-lhes dadas sete trombetas. O Senhor saía do Seu lugar, para castigar os habitantes da Terra por causa da sua iniquidade. …”. (EGW, Ma [MM 1977, 3/10], p. 288.7).

Desafio: Manter-se entre os que não passarão pelos terríveis juízos anunciados pelas trombetas.


TERÇA-FEIRA, 12 DE FEVEREIRO 2019 – O ANJO COM UM LIVRO ABERTO

Tanto o sexto selo quanto a sexta trombeta nos conduzem ao tempo do fim. Há, todavia, um intervalo que antecede o soar da sétima trombeta.

No intervalo, um “anjo forte” com a mesma descrição da “Testemunha fiel” que falou a João no início da revelação tem “o arco celeste” sobre a cabeça, e “seu rosto era como o sol, e os seus pés como colunas de fogo” e tem “na sua mão um livrinho aberto“. Seu pé “direito sobre o mar, e o esquerdo sobre a terra”, demonstrando Seu domínio universal, porque anuncia uma mensagem de consequências mundiais. Sua voz é “como quando ruge um leão”, e o rugido de leão é a voz de Deus. Concomitantemente sete trovões produzem vozes, mas João é impedido de escrever o que os trovões pronunciam, porque há verdades que Deus só para Si.

Então o anjo levanta sua mão ao céu e jura pela Divindade que “não haveria mais demora“ (Apocalipse 10:5-7) e, conforme já revelara Daniel que que a perseguição “seria para um tempo, tempos e metade do tempo“ (Daniel 12:6-7). Ambos esses textos se referem ao revelador como levantando as mãos e jurando por aquele que vive para sempre. João utilizou a palavra grega “chronos” significando um período de tempo e Daniel fala do período como sendo 3,5 tempos ou 3 anos e meio ou 42 meses ou 1260 dias, ou seja, de 538 a 1798 d.C., o período da supremacia papal. Como sabemos, em profecia, um dia representa um ano (Números 14:34, Ezequiel 4:6).

Nesse período o poder oponente de Deus e da verdade “proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos e a lei“ (Daniel 7:25).

E esse período chegaria ao tempo referido por Daniel 8:14, as “duas mil e trezentas tardes e manhãs” que foram historicamente cumpriu-se nos anos 457 a.C. a 1844 d.C.

Pense: “Os livros de Daniel e Apocalipse são um. Um é a profecia; o outro, a revelação; um é o livro selado, o outro, o livro aberto. … A luz especial dada a João, expressa nos setes trovões, foi a descrição dos eventos que ocorreriam sob a primeira e segunda mensagens angélicas”. (EGW, CT [MM 2002, 03/12], p. 380.4).

Desafio: Confiar que o SENHOR guarda seus servos fiéis, ainda que enfrentem a morte.


QUARTA-FEIRA, 13 DE FEVEREIRO 2019 – COMENDO O LIVRO

Ezequiel e Jeremias receberam ordens de tomar livro que viam e comê-los. Isto significa que comer o livro, ou rolo, que recebe de Deus é ter uma mensagem para dar a toda humanidade. (Compare Ezequiel 2:8-3:11; Jeremias 15:16).

João vê o “anjo forte”, com um livrinho aberto e ouve uma ordem: “Vai, e toma o livrinho”, e quando o recebe, recebe nova ordem “Toma-o, e come-o“, e é informado que o mesmo “fará amargo o teu ventre, mas na tua boca será doce como mel“. Atendendo a ordem João declara: “comi-o; e na minha boca era doce como mel; e, havendo-o comido, o meu ventre ficou amargo“.

Nova ordem é dada “Importa que profetizes outra vez a muitos povos, e nações, e línguas e reis” (Apocalipse 10:8-11). Essa ordem é para a igreja de Deus dos dias finais, convocada para proclamar o evangelho eterno a todos os seres humanos. Pregando o temor do Senhor e sua glorificação, motivado pela proximidade de Seu juízo e devemos adorá-Lo porque Ele é o criador (Apocalipse 14:6,7).

Na continuidade João recebe “uma cana semelhante a uma vara” com que deve medir “o templo de Deus, e o altar, e os que nele adoram”, mas não meça “o átrio que está fora do templo”. Porque não deveria medir esse espaço? O anjo explica: “porque foi dado às nações, e pisarão a cidade santa por quarenta e dois meses” (Apocalipse 11:1-2).

Sabemos que medição é juízo (Mateus 7:2). Portanto, medir o altar e os que ali adoram, significa que o juízo começará pelos que servem e adoram a Deus. Por isso, enquanto soam as trombetas, e no intervalo entre a sexta e a sétima trombetas, continua intercessão e pregação do evangelho.

Juízo lembra Dia da Expiação, quando Deus julgava todo israelita (Levítico 16:16-19), e o santuário e todos eles eram purificados de transgressões e pecados. Isto só se realizava pelo sangue do sacrifício, como nós que somos purificados pelo sangue de Cristo.

Pense: “A posição do Anjo, com um pé sobre o mar e outro sobre a terra, significa a ampla extensão da proclamação da mensagem. … chegando ao mundo inteiro. A compreensão da verdade, o alegre recebimento da mensagem, são representados pelo comer do livrinho”. (EGW, CT [MM 2002, 03/12], p. 380.6, in Manuscrito 59, 1900).

Desafio: Faça o seu melhor para espalhar a tríplice mensagem angélica a um mundo em agonia.


QUINTA-FEIRA, 14 DE FEVEREIRO 2019 – AS DUAS TESTEMUNHAS

Os judeus resolviam suas disputas apresentando duas testemunhas que confirmassem o mesmo teor de depoimento que o querelante. Jesus referiu-se a este costume ao declarar “na vossa lei está também escrito que o testemunho de dois homens é verdadeiro” (João 8:17). Deus usa esse conceito para exigir que Sua palavra seja tomada como verdade.

As Duas Testemunhas profetizam por 1.260 dias vestidas de pano de saco, sinal de luto pelas dificuldades para a proclamação do evangelho. Ao final desse período, a besta que sobe do abismo mata as Duas Testemunhas, porque o texto bíblico é submetido a ataques inverossímeis, Bíblias são queimadas aos milhares, a religião é abolida pela revolução francesa.

Zorobabel e Josué são designados como ungidos de Deus, que os conclama a manterem suas atividades e não atentarem às aparentes montanhas de dificuldades que o inimigo interporá a suas obras. O Senhor também designou Sua Palavra, Antigo e Novo Testamento, para testemunharem no período final da história.

A verdade única e unitária de Deus deve ser testemunhada a todo o mundo. A tríplice mensagem angélica (Apocalipse 14:6-12) e que a grande Babilônia cairá, com o dragão e todos que atentaram contra as Duas Testemunhas ou se prostituíram com seu vinho serão lançados no lago de fogo e enxofre e, os que não se embriagaram com suas mentiras, ouvem o apelo final “Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas” (Apocalipse 18:1-4).

Essa mensagem atrairá oposição teológica, filosófica e a realização de milagres e sinais, para convencimento e agregar adoradores da besta para o Armagedom, a batalha final (Apocalipse 16:13-16). Deus também terá seus fiéis, apresentados como “Aqui está a paciência dos santos; aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus” (Apocalipse 14:12).

Pense: “O período em que as duas testemunhas deveriam profetizar vestidas de saco, finalizou-se em 1798. Aproximando-se elas do termo de sua obra em obscuridade, deveria fazer guerra contra elas o poder representado pela “besta que sobe do abismo.” Em muitas das nações da Europa os poderes que governaram na Igreja e no Estado foram durante séculos dirigidos por Satanás, por intermédio do papado”. (EGW, GC, p. 268.3)

Desafio: Ouça o apelo final e esteja entre os chamados de santos e guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.


SEXTA-FEIRA, 15 DE FEVEREIRO 2019 – PONTOS PARA REFLEXÃO

Os anjos a quem serão dadas as sete trombetas estão em pé diante de Deus, imediatamente após a abertura do sétimo selo. Nos é dito que antes que a primeira trombeta seja tocada, outro anjo se apresenta junto ao altar, com um incensário na mão e recebe muito incenso, que é oferecido com as orações de todos santos. A fumaça incensada e as orações dos santos sobem até Deus. O anjo enche o incensário do fogo do altar e o atira à Terra.

As quatro primeiras trombetas são juízos de Deus sobre as ações de Satanás, que, como retirou a terça parte dos anjos do Céu, também quer destruir a terça parte das árvores, a terça parte da vida do mar, a terça parte da vida que há nos rios e fontes de águas e sobre a terça parte dos céus, sobre o sol, a lua e as estrelas. Nessa quarta trombeta ouve-se “ais” como lamento sobre os habitantes da terra pelas três trombetas que ainda soariam.

A quinta e a sexta trombetas anunciam as rivalidades religiosas posterior à Reforma Protestante chegando ao tempo do fim. Antes que a sétima trombeta seja tocada é apresentado a João um livrinho e ordenado que ele o coma, simbolizando a mensagem de Deus, completa, que deve ser anunciada ao mundo todo, como um chamado de Deus para que os que hão de ser salvos saiam da confusa Babilônia, se acheguem à verdade em Cristo Jesus, guardem os mandamentos de Deus e adorem o Criador.

A sétima trombeta assinalará o fim definitivo da história do tempo. A eternidade se abrirá como o novo horizonte, atemporal, diante da humanidade redimida e em permanente estado de adoração ao único Deus Criador, Salvador e Redentor. Rei dos Reis. Senhor dos Senhores. Amém!

Pense: “A sétima trombeta anuncia que o usurpador foi punido e que o mundo finalmente passou ao governo de Cristo”. (Ranko Stefanovic, O livro de Apocalipse [Lição da Escola Sabatina], p. 94).

Desafio: O mundo produz sons e imagens para desviar sua atenção. Ouça, porém, somente a voz de Deus.

sobre Portal da Escola Sabatina Online

O Portal da Escola Sabatina Online, Foi criado no dia 31 de Dezembro 2016 com o único intuito é incentivar a todos interessados a estudarem a LES e lhe concedendo a oportunidade de terem acessos diariamente pela via online. Todos os conteúdos do Portal é extremamente de máxima qualidade! Direção: Thiago A. de Oliveira - Baixo Guandu/ES.

Além disso, verifique

Informativo das Missões (Adultos): Saudades de Deus – 04 de Maio 2019

Fazer DownloadImprimir  Quando foi abandonada pelo marido, Cecília sentiu-se devastada. Ela estava com 30 anos, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×

Portal da Escola Sabatina Online

Seja Bem-Vindo(a), Estude diariamente as Lições da Escola sabatina da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

× Fale Conosco!