Novidades
Início / COMENTÁRIOS PARA ADULTOS - 1° TRIMESTRE 2019 / Comentários para Adultos: Lição 11 – As Sete Últimas Pragas – 09 a 16 de Março 2019

Comentários para Adultos: Lição 11 – As Sete Últimas Pragas – 09 a 16 de Março 2019

image_pdfFazer Downloadimage_printImprimir

 



SÁBADO A TARDE – 09 DE MARÇO 2019 – INTRODUÇÃO

Em estudo anterior houve a advertência para ter cautela ao estudarmos profecias não cumpridas, pois não conhecemos o quando ou o como há de cumprir-se. Assim, o estudo das sete últimas pragas objetivará comprovar a realidade de que Deus comanda a história e o universo, sendo “Deus zeloso” e atento aos eventos de nossa história como indivíduos e nações.

Assim, atentemos à importância de reconhecermos que só Deus é “santo; por isso todas as nações virão, e se prostrarão diante de ti, porque os teus juízos são manifestos” (Apocalipse 15:4). Nossas palavras, atitudes e ações serão testemunhadas diante de Sua Justiça, Graça e Santidade.

Antecipando os eventos do fim, a profecia mostra que, como ensinou Jesus, as nações e os poderes celestiais serão sacudidos pela ira de Deus. A humanidade sentirá angústia e perplexidade e formarão grandes movimentos de demonstração de desgosto. (Apocalipse 11:18 e Lucas 21:25).

O profeta vê um “grande e admirável sinal no céu”, que vê “sete anjos, que tinham as sete últimas pragas;” cujo objetivo será consumar “a ira de Deus” (Apocalipse 15:8).

Antes que descreva os juízos assinalados como “as sete últimas pragas”, vê como será o futuro do povo de Deus, vitoriosos sobre Satanás, seus aliados e suas artimanhas. Salvos, estão “junto ao mar de vidro” e portam “harpas” entoando canções que somente eles conhecem “o cântico de Moisés, servo de Deus, e o cântico do Cordeiro”, são hinos de adoração, louvor e gratidão pela salvação provida por Deus e pelo Cordeiro. (Apocalipse 15:1-4). Lembram os hebreus à margem do Mar Vermelho comemorando a vitória de Deus sobre os egípcios e sua libertação. (Êxodo 15).

Esses santos são os mesmos de Apocalipse 14:1-5, referidos como os 144 mil. Recusaram a marca da besta e são isentos de sofrer as sete últimas pragas. Na segunda vinda de Cristo serão revestidos da imortalidade (1 Coríntios 15:51-54) e serão ajuntados aos santos ressuscitados pelo advento de Cristo em poder e glória (1 Tessalonicenses 4:17).

Pense: “Viu a segunda vinda de Cristo em glória, os justos mortos ressuscitados para vida imortal e os santos vivos trasladados sem ver a morte, juntos ascendendo com cânticos de alegria para a cidade de Deus.”. (EGW, PP, p. 347.2).

Desafio: Manter fé na graça e misericórdias de Deus e na promessa de Sua salvação aos fiéis.


DOMINGO, 10 DE MARÇO 2019 – O SIGNIFICADO DAS SETE ÚLTIMAS PRAGAS

A humanidade já optou entre Deus ou a besta. Imediatamente antes que Cristo volte, Satanás, enfurecido, desejará exterminar os que não se curvaram a suas pretensões, mas anjos seguram os ventos de sua fúria. (Apocalipse 7:1-3).

As pragas identificadas como “últimas” no Apocalipse é porque serão aplicadas no fim dos tempos, diferentes das pragas das sete trombetas, aplicadas durante a história da igreja, quando o evangelho ainda é pregado e a humanidade é avisada para optar entre Deus e Babilônia e ainda há intercessão. (Apocalipse 8:2-5 e 10:8-11:14). A misericórdia, chamando os inimigos da igreja ao arrependimento ainda é pregada.

As “sete últimas pragas”, imediatamente anterior à vinda de Cristo, cairão sobre os que endureceram seus corações ao amor redentor de Deus e não se arrependeram, blasfemando de Deus, como Faraó.

A ira de Deus é Seu justo juízo às pessoas que escolheram viver paixões infames, imorais e sensuais, recusando conhecerem a Deus e seu evangelho. (Romanos 1:26-28).

Quando um dos animais entrega a sete anjos “sete taças de ouro”, o santuário celestial é cheio da glória de Deus e “ninguém podia penetrar no santuário”, ou seja, cessa a intercessão e acontece “o fechamento da porta da graça” (Apocalipse 15:5-8).

Também no santuário terrestre se a nuvem pousase sobre a tenda da congregação e “a glória do SENHOR” enchesse “o tabernáculo” ninguém podia acessar aquele ambiente santo (Êxodo 40:34-35, 1 Reis 8:10-11).

O decreto final (Apocalipse 22:11): “Quem é injusto, faça injustiça ainda; e … quem é justo, faça justiça ainda …” confirma que o tempo de arrependimento esgotou e todos serão levados frente ao Juiz de toda Terra. As “sete últimas pragas” revelarão a dureza de coração dos que aceitaram a marca e o número da besta. (Apocalipse 16:9-11).

Pense: “Nos dias atuais, as pessoas se ocupam apenas em comer, beber, plantar, construir, se casar e se dar em casamento. Os empresários continuam comprando e vendendo e os ambiciosos disputam posições de honra. Os amantes dos prazeres lotam teatros, estádios, cassinos e outros divertimentos. Em todo lugar, prevalece a diversão; contudo, o tempo da angústia se aproxima rapidamente e a porta da graça há de se fechar para sempre”. (EGW, VJ, p. 139.3).

Desafio: Que a você seja decretado “é justo, faça justiça ainda; e … é santo, seja santificado ainda”.


SEGUNDA-FEIRA, 11 DE MARÇO 2019 – O DERRAMAMENTO DAS ÚLTIMAS PRAGAS

Cessando a intercessão sumo-sacerdotal de Cristo, selados estarão todos os destinos. Os que se mantiveram em rebeldia contra Deus receberão sua parcela de ira divina em sua plenitude “sem mistura”.

As “sete últimas pragas” foram espelhadas nas pragas do Egito. Enquanto os egípcios padeciam sobre cada castigo de Deus, os israelitas eram protegidos e poupados, como o será o povo de Deus no tempo do fim. As pragas do Egito revelaram o coração endurecido de Faraó e, ao mesmo tempo, deixaram claro a todos que os falsos deuses em que confiavam nada podiam contra o Deus Verdadeiro. As pragas finais mostrarão o endurecimento progressivo dos adoradores da besta e a incompetência de Babilônia para protegê-los.

As primeiras quatro pragas causarão dores muitos fortes e serão localizadas, para não exterminar a humanidade. Com esta sequência é (Apocalipse 16:1-9):

1ª. – Feridas dolorosas e repugnantes sobre os adoradores da besta;
2ª. – Afeta o mar cujas águas se tornam em sangue e morrem os seres marítimos;
3ª. – Afeta os rios e as fontes das águas, que também se tornam em sangue;
4ª. – Afeta o sol e queimam os seres humanos, que blasfemam de Deus;

Apesar das fortes dores, os atingidos pelos castigos não se arrependerão nem se humilharão, blasfemando e maldizendo a Deus.

A quinta praga atingirá o trono da besta, sede do governo de Satanás, e trevas que toda a humanidade vinculada à besta sentirá como causadoras de mais dores intensas, e comprovarão a incapacidade de Babilônia, da besta e Satanás lhes darem proteção.

Mas estarão com a mente tão dominada pelas falsidades satânicas que permanecerão contra Deus e nada lhes mudará o coração, pelo contrário, o blasfemarão e a Seu povo santo.

Pense: “Vi que os quatro anjos segurariam os quatro ventos até que a obra de Jesus estivesse terminada no santuário, e então viriam as sete últimas pragas. Estas pragas enfureceram os ímpios contra os justos, pois pensavam que nós havíamos trazido os juízos divinos sobre eles, e que se pudessem livrar a Terra de nós, as pragas cessariam”. (EGW, EF, p. 256.2).

Desafio: Ter vida abundante no Mestre e estar pronto para passar pelas provações das últimas pragas.


TERÇA-FEIRA, 12 DE MARÇO 2019 – O SECAMENTO DO RIO EUFRATES

Os rios são importantes para as nações e a humanidade. Têm o significado de vida e sobrevivência, como o Nilo no Egito e o Eufrates na Mesopotâmia. O Eufrates era gerador de subsistência das cidades às suas margens, inclusive Babilônia.

Segundo o historiador Heródoto, Babilônia era inexpugnável, pois o único acesso era pelos portões que fechavam a entrada do rio Eufrates. O rio era parte intrínseca da existência da cidade, garantindo-lhe alimentos e a segurança militar.

A Babilônia do tempo do fim é descrita como assentada sobre muitas águas, representando os poderes políticos-militares que se unem a suas ideias e propósitos. Posteriormente deixarão de apoiá-la.

Semelhante à queda da Babilônia imperial, quando Ciro, o persa, (Daniel 5) a conquista desviando as águas do Eufrates e entrando na cidadela pelo leito do rio, no momento que Belsazar e seus maiorais festejavam, a inexpugnabilidade de sua capital.

O secamento do Eufrates (Apocalipse 16:12) é o desmantelamento das forças combinadas em torno de Babilônia, isto é, o apoio dos poderes civis e políticos do mundo e, em consequência, a queda de seu poder.

Portanto, o secamento do Eufrates atinge a Babilônia moderna que, como a imperial, sentindo-se apoiada por povos e pelas lideranças civis, seculares e políticas do mundo, rica de tesouros, mas é o seu fim, proporcional à destruição que causou e sua ânsia de poder, e transferir a santidade do dia de adoração criado e abençoado por Deus para o seu falso dia de repouso.

A natureza se revoltará aos atos de Babilônia, como as pessoas que se rebelarão, se opondo a suas ordens. Mantém, todavia, a arrogância e desafio de não se arrependerem de seus pecados, blasfemando de Deus e Seu Nome.

Os mesmos dez reinos que transferiram seus poderes à prostituta, a odiarão e a envergonharão, revelando sua nudez, suas mentiras e enganos e a levarão ao fogo da destruição (Apocalipse 17:16).

Pense: “O Espírito de Deus está gradualmente Se retirando do mundo. Satanás também está concentrando as forças do mal, dirigindo-se “aos reis do mundo inteiro”, para reuni-los sob o seu estandarte e prepará-los “para a peleja do grande dia do Deus Todo-poderoso”. Apocalipse 6:14. — The S.D.A. Bible Commentary, v. 7, p. 983”. (EGW, EF, p. 249.1).

Desafio: Leia, compreenda e interprete os sinais de que vivemos no limiar do fim do tempo do fim.


QUARTA-FEIRA, 13 DE MARÇO 2019 – ÚLTIMO GRANDE ENGANO DE SATANÁS

O secamento do Eufrates é preparo para “o caminho dos reis do oriente” (Apocalipse 16:12). Em Babilônia os reis do Oriente foram Ciro e seu exército. Vindo do norte, penetraram em Babilônia pelo lado oriental (Isaias 41:25). Isso possibilitou ao povo de Deus retornar à sua nação e reconstruir a cidade de Deus, Jerusalém.

Semelhantemente, o secamento simbólico do Eufrates prepara o caminho para os reis do Oriente libertarem o povo de Deus no tempo do fim. Esses reis são Cristo e Seus anjos, “vestidos de linho puro e resplandecente“ (Apocalipse 15:6), pois são sem pecado. Com Seu exército Cristo vencerá as hostes diabólicas, reunidas de todos os cantos da Terra (Mateus 24:30-31), e atacam o povo de Deus (Apocalipse 17:14).

Nos eventos finais toda possibilidade de arrependimento estará extinta, pois todos terão recebido todas as oportunidades para escolherem de que lado estarão na batalha do Armagedom. Antes que a batalha ocorra, aparecerão três espíritos malignos semelhantes a rãs. Arregimentarão os poderosos do mundo para se colocarem ao comando de Satanás (Apocalipse 16:13-14).

O dragão (paganismo e espiritualismo), com a besta do mar (catolicismo romano) e o falso profeta (protestantismo apostatado), unidos sob a liderança de Satanás (Apocalipse 13:11-12). Ele habilitará a besta semelhante ao cordeiro a realizar maravilhas e sinais espiritualistas, uma das formas de convencimento do mundo para que o sigam e não ao Deus verdadeiro.

Além de pessoas não esclarecidas para entenderem suas artimanhas e ardis, também atacará os professos seguidores de Cristo, disponíveis a novas doutrinas, mas que “nos últimos tempos apostatarão” (1 Timóteo 4:1).

As lideranças mundiais odiando a Deus e à verdade, crerão nas mentiras de Satanás, que sob aparência de agradável religiosidade, serão “segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira, 10E com todo o engano da injustiça” (2 Tessalonicenses 2:9-12) e unidos, irão à última batalha que assinalará o fim deste mundo.

Pense: “O último grande engano deve logo patentear-se diante de nós. O anticristo vai operar suas obras maravilhosas à nossa vista. Tão meticulosamente a contrafação se parecerá com o verdadeiro, que será impossível distinguir entre ambos sem o auxílio das Escrituras Sagradas. Pelo testemunho destas toda declaração e todo prodígio deverão ser provados”. (EGW, GC, p. 593.1).

Desafio: O inimigo se apresentará a você como anjo de luz, mas provai-o pela Palavra.


QUINTA-FEIRA, 14 DE MARÇO 2019 – REUNIÃO PARA A BATALHA DO ARMAGEDOM

Os sinais satânicos, aparentemente, serão sucesso global. A maioria crerá na mentira e milagres enganosos de Satanás. Com propósitos unificados, confirmarão sua reunião “no lugar que em hebreu se chama Armagedom” (Apocalipse 16:16). Armagedom ou “Monte Megido”, era uma cidade-fortaleza no vale de Jezreel, ao pé do monte Carmelo. Batalhas decisivas foram ali travadas. Disputas como entre o exército de Jabim, rei de Canaã e Israel (Juízes 5:19); entre Gideão e seus trezentos, vencedores do combinado de exércitos de “midianitas e amalequitas, e os filhos do oriente” (Juízes 6:33). Ou da guerra entre Israel e Judá, quando o rei Acazias, de Israel, foge para Megido e ali é morto por Jeú, usurpador de seu trono.

Megido é uma referência apocalíptica ao Monte Carmelo, onde houve a batalha entre Baal e o Deus Criador, representados pelos profetas de Baal com o apoio da maioria do povo e dos poderosos, contra Elias, profeta de Deus, aparentemente só. Deus revela haver um remanescente fiel.

Deus faz descer fogo do Céu para queimar o sacrifício de seu servo fiel. Os profetas de Baal não o conseguem, apesar de suas autoflagelações. A questão ali resolvida era “Quem é o verdadeiro Deus?”

O fogo do Céu responde à questão. Só o verdadeiro Deus executa esse milagre. Só Ele merece ser adorado. No tempo do fim, a besta da terra fará descer fogo do Céu e enganará ainda mais aqueles decididos a servir Satanás. Seu domínio sobre a humanidade será tanto que, como Judas, as pessoas não regredirão em suas acusações ao Filho de Deus objetivando condená-lo à prisão e morte.

Escolheram o lado perdedor. Clamarão aos montes e rochedos que caiam sobre eles (Apocalipse 6:16). Os que estão do lado vitorioso, descansarão enquanto seus adversários são consumidos em “labaredas de fogo”.

Lembremos que essa batalha é espiritual e nossas armas não são carnais e destroem as fortalezas do inimigo.

Pense: “Os poderes do mal não capitularão no conflito sem uma luta. Mas a Providência Divina tem uma parte a desempenhar na batalha do Armagedom. Quando a Terra for iluminada com a glória do anjo de Apocalipse 18, os elementos religiosos, bons e maus, despertarão do sono, e os exércitos do Deus vivo pôr-se-ão em campo”. (EGW, EF, p. 251.3).

Desafio: Permaneça fiel, embora pareça só e isolado, Deus está com você até a batalha final.


SEXTA-FEIRA, 15 DE MARÇO 2019 – PONTOS PARA REFLEXÃO

Antes das “sete últimas pragas”, o Apocalipse mostra o futuro do povo de Deus, vitorioso sobre Satanás. Salvos, “junto ao mar de vidro” portando “harpas” e “o cântico de Moisés, servo de Deus, e o cântico do Cordeiro”, hinos de adoração e louvor que somente eles conhecem, gratos pela salvação de Deus e do Cordeiro.

O decreto “Quem é injusto, faça injustiça ainda; e … quem é justo, faça justiça ainda …” confirma que o tempo de arrependimento esgotou e o juízo de Deus se estabeleceu.

As primeiras quatro pragas causarão dores muitos fortes e serão localizadas, mas a quinta cairá sobre o trono da besta e cobre de trevas a humanidade; e a sexta é apresentada como o secamento do Eufrates: a besta abandonada por seus mais fanáticos seguidores; e, por fim, a sétima é o juízo final e a destruição da Terra. O “feito está!”.

O paganismo e espiritualismo e o catolicismo romano e o protestantismo apostatado, sob a liderança de Satanás, que habilitará a besta semelhante ao cordeiro a realizar sinais espiritualistas, uma forma de convencer o mundo a segui-lo. Não esclarecidos, professos cristãos dispostos a descobrirem novas doutrinas “apostatarão”.

Satanás dominará tanto sobre a humanidade, a qual, como Judas, não regredirá em suas acusações ao Filho de Deus, objetivando condená-lo à prisão e morte. Escolheram o lado perdedor. Clamarão aos montes e rochedos caírem sobre eles. Do lado vitorioso, descansarão enquanto seus adversários são consumidos em “labaredas de fogo”. Essa batalha é espiritual e nossas armas não são carnais e destroem as fortalezas do inimigo.

Pense: “Como ato culminante no grande drama do engano, o próprio Satanás personificará Cristo. A igreja tem há muito tempo professado considerar o advento do Salvador como a realização de suas esperanças. Assim, o grande enganador fará parecer que Cristo veio. Em várias partes da Terra, Satanás se manifestará entre os homens como um ser majestoso, com brilho deslumbrante, assemelhando-se à descrição do Filho de Deus dada por João no Apocalipse … ”. (EGW, GC, p. 624.2)

Desafio: Coloque-se sob a bandeira do Príncipe do exército celestial e vença.

sobre Portal da Escola Sabatina Online

O Portal da Escola Sabatina Online, Foi criado no dia 31 de Dezembro 2016 com o único intuito é incentivar a todos interessados a estudarem a LES e lhe concedendo a oportunidade de terem acessos diariamente pela via online. Todos os conteúdos do Portal é extremamente de máxima qualidade! Direção: Thiago A. de Oliveira - Baixo Guandu/ES.

Além disso, verifique

Adolescentes (3º Trimestre 2019) | Auxiliar da Escola Sabatina

Fazer DownloadImprimir  Arquivo em PDF do auxiliar da Escola Sabatina para professores e diretores da …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×

Portal da Escola Sabatina Online

Seja Bem-Vindo(a), Estude diariamente as Lições da Escola sabatina da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

× Fale Conosco!