Novidades
Início / COMENTÁRIOS PARA JOVENS / Comentários para Jovens: Lição 02 – O Pentecostes – 07 a 14 de Julho 2018

Comentários para Jovens: Lição 02 – O Pentecostes – 07 a 14 de Julho 2018

Print Friendly, PDF & Email

 

 



SÁBADO A TARDE – 07 DE JULHO 2018 – PRÉVIA DA SEMANA

“Deus ressuscitou a este Jesus, do que todos nós somos testemunhas. De sorte que, exaltado pela destra de Deus, e tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto que vós agora vedes e ouvis” (Atos 2: 32,33, Almeida Edição Con-temporânea).

O livro de Atos narra alguns momentos marcantes na trajetória da Igreja Cristã. Um deles foi o recebimento do Espírito Santo como condição necessária para a execução da missão. Na realidade, gosto de pensar que o livro poderia ter outro nome, poderia ser conhecido como “Atos do Espírito Santo”. Penso dessa forma por alguns motivos, entre eles: (1) A cópia mais antiga que temos do livro tem como título apenas “Atos”, sem adicionar “Apóstolos”. Em seguida, (2) é perceptível a presença do Espírito condu-zindo as circunstâncias do povo de Deus. Desde o início o autor de Atos já se ocupa de introduzir a ação do Espírito, colocando em evidência o papel importante que Ele de-sempenha nos relatos descritos no livro.

Gostaria de ter vivido nos primeiros séculos, quando a igreja de Atos acabara de nas-cer, e ter contemplado a ação do Espírito através de homens e mulheres consagrados, e ver aquilo que hoje podemos apenas ter a oportunidade de ouvir e ler. Mas, se real-mente eu tivesse vivido naquela época, eu estaria entre os discípulos verdadeiros? Será que receberia a iluminação do Espírito Santo e faria atos como daqueles cristãos? São perguntas que surgem quando penso nisso.

A igreja de hoje precisa mais do que nunca olhar para os exemplos da Igreja do primeiro século, tanto os bons, quanto os ruins, e aprender com eles. A Igreja Cristã, atualmente, incluindo a Adventista do Sétimo Dia, pode experimentar a mesma experiência que os cristãos da época do pentecostes sentiram, basta apenas buscar constantemente o poder do alto, pois Ele é oferecido a qualquer um que esteja disposto a recebê-lo.

Nesta semana, iremos nos aprofundar um pouco sobre o que foi o Pentecostes e quais foram suas consequências na igreja do primeiro século. Além disso, tentaremos perce-ber os princípios que tal momento ensina para a geração atual. Você está convidado a viajar conosco mais de dois mil anos atrás e descobrir verdades que podem mudar a sua maneira de enxergar o mundo. Você está preparado, então vamos lá!

Pense: “O mesmo poder que susteve os patriarcas, que a Calebe e Josué deu fé e coragem, e eficiência à obra da igreja apostólica, tem sustentado os fiéis filhos de Deus nos séculos sucessivos” (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 29).

Desafio: Aproveite o momento e faça a leitura recomendada na “Leitura Adicional” se-lecionada para essa semana: Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, capítulo 5, “O dom do Espírito”. Disponível pela internet no Centro de Pesquisa Ellen G. White.


DOMINGO, 08 DE JULHO 2018 – DEUS PROMETE SUPERPODERES?

Desde muito cedo, na história da formação da Bíblia, Lucas tem sido apresentado co-mo o autor do livro de Atos, o mesmo que escrevera o evangelho com o seu nome. Na realidade, os dois grandes volumes que ele escreveu: (1) um narrando a vida de Jesus, seus atos e ensinamentos e o outro (2) o início da igreja de Cristo e sua pregação. Um apresenta os atos de Jesus e o outro os atos do Espírito Santo. Não é interessante?

Acho que a intenção de Lucas é apresentar a certeza da presença de Deus em nosso meio, começando com o nascimento de Jesus, sua vida, morte, ressurreição e ascen-são e indo até os últimos dias da história da Terra, acompanhados do Espírito. Talvez um dos pressupostos do autor ao escrever suas obras era confirmar a todos os seus leitores que poderiam confiar na mão que rege os mundos, pois nunca estariam sozi-nhos. Essa verdade é essencial para indivíduos que vivem num mundo marcado pelo pecado e perseguido pelo diabo. Diante das provas e desgraças que Satanás levanta e põe diante das pessoas, Deus se faz presente conosco.

O Espírito ainda iria capacitar a Igreja para cumprir a missão. Os dons seriam dados ao povo escolhido para que todas as nações, reinos e raças conhecessem o maravilhoso Reino de Deus. Como estudado na semana passada, para o recebimento do Espírito, os discípulos precisariam esperar em oração, buscando consagração permanente, para que o poder fosse derramado e a tarefa completada. Hoje Deus ainda continua oferecendo dons ao seu povo para que a missão continue. Não são superpoderes, mas capacidades especiais de transmitir o conhecimento de Deus aos outros. Porém, a Igreja não pode se esquecer de buscar a consagração necessária, que é fator primordial para receber o poder, pois sem Ele o trabalho será infrutífero.

Pense: “A promessa é tão vasta como a comissão. Não que todos os dons sejam comunicados a cada crente. O Espírito reparte “particularmente a cada um como quer”. 1 Coríntios 12:11. Mas os dons do Espírito são prometidos a todo crente segundo sua necessidade para a obra do Senhor. A promessa é, hoje, exatamente tão categórica e digna de confiança, como nos dias dos apóstolos. “Estes sinais seguirão aos que creram”. Marcos 16:17” (Ellen White. Desejados de todas as Nações, p.581).

Desafio: Reflita sobre sua vida e tente lembrar os momentos em que você percebeu a mão de Deus sobre você. Situações em que foi livrado de algum problema que poderia causar consequências profundas.


SEGUNDA-FEIRA, 09 DE JULHO 2018 – O PENTECOSTES E A PROMESSA

A festa de Pentecostes (festas das semanas) era uma das seis festas anuais celebradas pelo povo judeu, e uma das três nas quais todos os homens hebreus tinham a obriga-ção de comparecer diante do Senhor (Êx. 23: 17). Cinquenta dias após o oferecimento do primeiro feixe de cereal colhido, que ocorria no segundo dia da Festa de Pães As-mos, dava sentido ao termo pentecostes. Essa festa tinha duas finalidades, uma delas era lembrar a benção de Deus sobre a colheita e a benção divina em permitir que uma grande colheita de pessoas fosse realizada para pertencer ao corpo de Cristo (visto em Atos 2).

Percebe como nada que Deus cria é por acaso? Tudo tem um sentido importante para o Seu povo. Podemos confiar e acreditar nas obras de Deus, pois elas são dignas de confiança. O pentecostes também foi sinal da obra poderosa do Espírito Santo em proclamar a verdade. Muitas denominações se apoiam nesse contexto da igreja primi-tiva para defender o dom de línguas na forma de idiomas não conhecidos pelo ho-mem, ou como outro tipo de linguagem. No entanto, o próprio texto confirma a certe-za de que as línguas faladas naquele momento não eram desconhecidas, mas se reve-lava como o idioma de alguma nação ou região. O termo usado é o dialektos. Para essa festa haviam se reunido em Jerusalém peregrinos de vários lugares das regi-ões da época, judeus conhecidos como os da diáspora. Provavelmente, esses grupos não estavam em condições de entender o aramaico (idioma cotidiano dos discípulos). A narrativa não permite afirmar com certeza se o dom de línguas, dado no pentecos-tes, foi permanente. Porém, mesmo que não seja permanente, ao realizar uma vez, deixa a esperança de que pode ser dado outras vezes.

O evangelho foi pregado pelo ato milagroso do Espírito Santo. Todavia, era necessário que ele acontecesse. Hoje Deus pode realizar outros milagres, se for necessário, para cumprir seus desígnios de espalhar a mensagem da salvação. Contudo, é necessário que essas pessoas estejam dispostas a receber o derramamento do Espírito, pois Deus quer realizar o milagre através de nós. Para isso é indispensável consagração e entre-ga. Ao você ser chamado para essa tarefa hoje, qual a sua resposta?

Pense: “O Pentecostes trouxe-lhes uma iluminação celestial. As verdades que não pu-deram compreender enquanto Cristo estava com eles, eram agora reveladas. Com uma fé e certeza que nunca antes conheceram, aceitaram os ensinamentos da Sagrada Palavra” (Ellen White, Atos dos Apóstolos, p. 24).

Desafio: Deus concede dons a todas as pessoas, porém, eles servem para expandir o reino de Deus. Você sabe quais são os seus dons? Ore para que Deus lhe mostre o que você pode fazer por Ele.


TERÇA-FEIRA, 10 DE JULHO 2018 – O ESPÍRITO SANTO EM AÇÃO

É perceptível, quando se lê o livro de Atos, que o líder do movimento da igreja do pri-meiro século não foi Pedro, Paulo ou qualquer outro discípulo, mas o Espírito Santo. É natural que os discípulos desempenharam papéis importantes, mas o fundamental não era os deles. Isso é incontestável, pois os próprios apóstolos ao realizarem algum mila-gre “missionário”, eles atribuíam o crédito unicamente a Deus. O entusiasmo, a ousa-dia e a coragem percebidos naqueles homens era uma obra divina, não humana.

O Espírito é uma pessoa distinta de Deus Pai e Jesus. Alguns defendem a ideia de que o Espírito é uma manifestação de Deus Pai, fato que derruba a ideia da trindade como possuindo seres diferentes. Alguns elementos revelam a certeza da divindade e perso-nalidade do Espírito Santo, e são importantes para o nosso estudo, entre eles estão: (1) pode-se mentir ao Espírito – Atos 5: 3, 4 – e entristece-lo (Efésios 4: 30); (3) Podemos blasfemar contra Ele (Mateus 12:31, 32), e blasfêmia só pode ser realizada contra Deus. Ele também possui vontade própria (1 Coríntios 12:11). Em Romanos oito, o a-póstolo Paulo nos revela que o Espírito nos guia (v.14), testifica (v. 16) e nos ajuda nas fraquezas (v. 26). Esses são textos e argumentos simples sobre a certeza da personali-dade e divindade do Espírito (você pode encontrar outros), porém, mostram como essa ideia é real.

Outra coisa que não podemos contestar é como a presença do Espírito concedeu o crescimento à igreja cristã do primeiro século. A igreja era reavivada constantemente para espalhar o evangelho e cumprir sua missão. Mas acredite, tudo isso não poderia acontecer se os membros da igreja da época, pelo menos em sua maioria, não estives-sem realmente dispostas a receber o poder. Elas queriam tanto, que estavam prontas para enfrentar até mesmo sacrifícios pelo dom do Espírito. Será que igreja de hoje também tem a mesma disposição? Tenho certeza, se essa fosse a situação da igreja contemporânea, muitos milagres seriam testemunhados.

Pense: “Desde a queda de Adão, Cristo estivera confiando a servos escolhidos a semente de Sua Palavra, para ser lançada nos corações humanos. Durante Sua vida na Terra, Ele semeara a semente da verdade e a regara com Seu sangue. As conversões ocorridas no dia do Pentecostes foram resultado dessa semeadura, a colheita da obra de Cristo, revelando o poder de Seus ensinos” (Ellen White, Atos dos Apóstolos, p. 24).

Desafio: Qual foi a última vez que você orou pelo derramamento do Espírito Santo sobre você e sua igreja? Separe o dia de hoje para orar em prol desse objetivo.


QUARTA-FEIRA, 11 DE JULHO 2018 – O PESO DA RESPONSABILIDADE

Agora chegamos num ponto delicado, que talvez possa incomodar alguns. É muito belo enxergar a igreja do primeiro século trabalhando em prol do evangelho, porém, quan-do essa responsabilidade recai sobre a igreja de hoje, alguns ficam preocupados. O sacrifício do eu, para muitos, ainda continua sendo o principal impedimento do rece-bimento do poder do Espírito. Todos os bens materiais alcançados ainda pesam bas-tante na balança.

Que ninguém se engane ou feche os olhos, todos, tem uma responsabilidade perante Deus, tanto individual, quanto em grupo. Existem pessoas sofrendo porque ainda não conheceram o evangelho que liberta. Nós temos a chave para destrancar as algemas, pois foram com elas que ficamos livres. Devemos ter consciência de que o fato de ter-mos descoberto a salvação e o evangelho for por que alguém, um dia, não teve medo ou vergonha.

Mas o mais impressionante é que não fazemos por que esquecemos que o autor do milagre é Deus e não nós. Nossa única parte é dizer para os outros como nossa vida foi transformada pelo poder divino. Nossa tarefa é testemunhar daquilo que aconteceu conosco, pois erámos escravos e agora estamos livres. As responsabilidades que re-pousavam sobre os discípulos da igreja apostólica enriqueciam lhes a vida cristã, e essa experiência pode ser nossa também, podemos ter nossa caminhada cristã restaurada.

Não precisamos ter medo ou vergonha, pois afinal, o Deus do universo está conosco em todos os momentos, e o milagre pode acontecer se você se colocar nas mãos de Deus. Todas as coisas são possíveis, mas antes de tudo, uma atitude é necessária. Mi-nha oração e desejo é que você decida hoje, buscar consagração e o poder do alto. Deus o abençoe!

Pense: “Deus não requer que Seus filhos permaneçam onde, pela atitude de homens ímpios, sua influência perca o efeito e sua vida seja exposta ao perigo. Quando a liber-dade e a vida correm perigo, não é meramente nosso privilégio, mas nosso claro dever ir a lugares em que as pessoas estejam dispostas a ouvir a Palavra da Vida e onde as oportunidades para pregar a Palavra sejam mais favoráveis” (Ellen White, Eventos Finais, p. 151).

Desafio: Responsabilidade não deve nos trazer medo, mas compromisso com nossas obrigações. Hoje quero que analise sua vida e perceba se está tendo compromisso verdadeiro com suas tarefas, se não, por quê?


QUINTA-FEIRA, 12 DE JULHO 2018 – COMO ATRAIR OUTROS PARA CRISTO

Muitos materiais já foram escritos sobre a melhor maneira de conquistar pessoas para a igreja e para Cristo. Na realidade, essa é o pressuposto básico do pensamento da igreja. Posso afirmar que muitas coisas para serem produtivas precisam levar em con-sideração o contexto em que o evangelho é pregado, todavia, uma coisa é inegociável: a verdade da palavra de Deus. “Em nenhum momento, posso mudar o “Assim diz o Senhor” para ser conveniente para as pessoas”.

Para ser eficiente na pregação do evangelho, preciso buscar referências de bons métodos missionários. Posso estar errado, e muitos podem pensar diferentes de mim, todavia, não podemos confundir métodos com formas de transmitir a verdade. Métodos são padrões que se encaixam em muitas maneiras de evangelismo, forma é um “jeito” específico de pregar. Exemplos de formas é o ministério com os presidiários, com idosos, com moradores de ruas etc. O método trabalha mais com a essência, enquanto a forma mais com prática no processo. Para deixar mais claro, cito o método missionário de Jesus, que se aproximava das pessoas como lhes querendo o bem, supria a necessidade e então, só depois, pregava o evangelho.

Atualmente as pessoas estão mais interessadas em como vivo o evangelho. Elas estão cansadas de falsos “cristãos”, pessoas hipócritas, que não vivem o que pregam. É claro que não devemos ser inocentes, pois afinal, a igreja não é perfeita e todos cometem erros. Todavia, é perceptível a diferença quando um cristão verdadeiro e um falso erram. Enquanto um busca a misericórdia de Deus para receber o perdão e luta para não cair novamente, o outro usa a desculpa da pecaminosidade humana para continuar no erro. E se você acha que não, as pessoas percebem diferença. Que hoje você decida seguir Jesus acima de qualquer coisa e busque ser cristão verdadeiro, sempre usando o método de Cristo.

Pense: “Os ministros de Deus devem aprender o método de trabalho de Cristo, para que possam tirar dos celeiros de Sua Palavra o que irá suprir as necessidades espirituais daqueles por quem trabalham. Somente assim poderão desempenhar a tarefa que lhes foi confiada” (Ellen White, Atos dos Apóstolos, p. 203).

Desafio: Escolha alguma pessoa próxima a você (que você tem vontade de pregar a ela o evangelho) e tente usar o método de Cristo. Coloque esse desafio não apenas como diário, mas lembre dele durante todo o semestre.


SEXTA-FEIRA, 13 DE JULHO 2018 – O PRESENTE QUE TRAZ PODER

Imagino que você gosta de receber presentes, certo?! Quem não gosta. O presente se torna mais especial quando é algo que estamos precisando ou é uma coisa que querí-amos muito. De qualquer forma, sempre é bom receber presentes.

Deus em sua infinita grandeza concede-nos diariamente presentes essenciais para nossa existência, quer ver: (1) a própria vida é um presente, a qual pela ocorrência permanente, muitas vezes esquecemos que muitas outras pessoas não tiveram a mesma oportunidade de levantar com vida hoje de manhã. (2) o privilégio de estudar a sua palavra e conhecer Sua vontade para nós, é incomparável. (3) A oportunidade de ter uma família, mesmo imperfeita, ela é nossa herança aqui na terra. Muitas outras coisas poderiam ser descritas, mas quero que hoje, você mesmo pense sobre os muitos presentes que Deus já lhe concedeu durante a vida.

Mas de todas as coisas que poderíamos nos alegrar em receber de Deus, a maior delas é Espírito Santo, o Consolador. O mundo é tão cruel e mal, e tantas vezes, sofremos, choramos e nos magoamos; e somente a presença de Deus para nos manter firmes e confiantes quanto ao futuro. É ele quem nos dá coragem e ousadia para pregar o evangelho, Ele nos ilumina para a verdade que precisamos aprender, é Ele que nos ensina a forma correta de viver e põe em nosso coração a vontade de buscar o que mais importa na vida: Deus. Sem Ele, nossa prioridade estaria pervertida, nossos sonhos estariam no lugar errado, nosso futuro comprometido. Deus habitando no coração e na vida é o que todos podem alcançar. Essa é sua vontade, então acredite e viva com o Espírito, com o Consolador.

Pense: “Para que pudessem ter sucesso em sua obra(os apóstolos), deviam eles receber o poder do Espírito Santo. Não pelo poder humano ou humana sabedoria devia o evangelho ser proclamado, mas pelo poder de Deus “ (Ellen White, Atos do Apóstolos, p. 10).

Desafio: Reserve um tempinho depois do pôr-do-sol para revisar a lição. Além disso, escreva numa folha de papel, os que conseguir lembrar, os presentes que Deus lhe deu durante toda a sua vida. Perceba como essa atitude nos aproxima de Deus.

Comentários do Facebook

sobre Portal da Escola Sabatina Online

O Portal da Escola Sabatina Online, Foi criado no dia 31 de Dezembro 2016 com o único intuito é incentivar a todos interessados a estudarem a LES e lhe concedendo a oportunidade de terem acessos diariamente pela via online. Todos os conteúdos do Portal é extremamente de máxima qualidade! Whatsapp: (027) 99777-2514 - Thiago Oliveira

Além disso, verifique

Primários: Lição 03 – Água Viva – 21 a 28 de Julho 2018

  VERSO PARA DECORAR “Quem beber da água que Eu lhe der nunca mais terá …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fale Conosco!!