Novidades
Início / COMENTÁRIOS PARA JOVENS - 2° TRIMESTRE 2019 / Cometários para Jovens: Lição 03 – Preparo para a Mudança – 13 a 20 de Abril 2019

Cometários para Jovens: Lição 03 – Preparo para a Mudança – 13 a 20 de Abril 2019

image_pdfFazer Downloadimage_printImprimir

 


 



SÁBADO A TARDE – 13 DE ABRIL 2019 – INTRODUÇÃO

Comentário por: Gerson Benedito Prado

Os especialistas em gestão têm discutido a necessidade de estruturas empresariais e comunitárias estarem preparadas e dispostas a viverem as mudanças. Mudanças são, talvez, a única certeza na vida das entidades e das pessoas e afetam em ambos os sentidos, isto é, do indivíduo para a estrutura em que convive e desta para cada um dos indivíduos participantes.

Há mudanças inesperadas, como acidentes, catástrofes repentinas, eventos ou situações imprevisíveis, mas, há mudanças anunciadas, projetadas e até planejadas, como casamentos, mudança de ramo profissional ou eventos climáticos cíclicos, previstos e anunciados.

De toda forma, o que se sabe e se conhece da psicologia humana, mudanças são sempre pontos de muita resistência e baixa aceitação na vida dos seres humanos. O mais normal é que não se queira vivenciar mudanças, mas permanecer no que é denominado “zona de conforto”, ou seja, a vida rotineira e sem alterações que provoquem mudanças de vida.

Mas a única imutabilidade que os seres humanos conhecem e podem confirmar é a pessoa de Deus, pois a Bíblia declara que Nele “não há mudança nem sombra de variação“ (Tiago 1:17). No restante de toda a criação que conhecemos, há mudanças continuamente. E por isso, cada cristão deve estar apto e pronto a viver sob a tensão das necessidades que a mudança traz. Mudança de lugar, mudança de estado civil, mudança da estrutura familiar, mudança da estação da vida que se vive ao longo do tempo, mudança para encarar a morte com a fé de Jesus e a certeza da salvação.

Pense: “Uma vida monótona não favorece o desenvolvimento espiritual. Alguns só podem atingir a mais alta norma de espiritualidade mediante uma mudança na ordem regular das coisas. Quando, em Sua providência, Deus vê que é essencial que sobrevenham mudanças, para a edificação do caráter, perturba a tranquila corrente da vida”. (EGW, OE,p. 269.3).

Desafio: Preparar-se para as mudanças que serão requeridas na vida de um cristão.


DOMINGO, 14 DE ABRIL 2019 – DESPREPARADOS 

Despreparados para as mudanças que a vida apresenta ou impõe.

1. Despreparados pelo pecado: criados para um ambiente de glória e paz permanentes somos despreparados para mudanças. Elas surgiram a partir do pecado. Como disse Paulo, estamos todos “destituídos … da glória de Deus” (Romanos 3:23), portanto, incapacitados para as mudanças que o pecado trouxe. A glória de Deus, manifestada por Sua presença,é que tornaria a humanidade preparada para mudanças advindas com a vida eterna.

2. Despreparados para as consequências: O pecado muda o humor do ser humano de confiante em desconfiado, temeroso. Torna-o acusador, e resulta em morte.Entre outras consequências háa palavra torpe,a falsidade, a exploração do mais fraco.

3. Despreparados para as intempéries: é Deus quem protege do sol e do frio com a nuvem e dá a muralha de águas na travessia do mar. Dá o maná e a água da rocha, e adverte a não praticarmos a idolatria ou a prostituição.

4. Despreparados para confiar em Deus: ninguém é tão pleno que possa garantir que não cairá. Deus é fiel e nos sustenta além de nossas forças, qual seja a mudança que enfrentemos. (Leia 1 Coríntios 10:1-13).

5. Despreparados por conceitos humanos: cuide-se para que resultado humanamente favoráveis não o façam esquecer que é Deus quem dá a vitória. Impossível enganá-Lo ou mentir-Lhe. Os resultados serão funestos e indesejados, talvez a morte repentina. (Veja sobre Ananias e Safira em Atos 5:1-10).

6. Despreparados para depender de Deus: não agir por discernimento próprio, como Deus, colocando a falta de fé acima das promessas de Deus, como fez Sara ao influenciar Abraão no caso de Agar, resultando muitos sofrimentos e angustias. (Veja Gênesis 16:1, 2, 5, 6).

7. Despreparados para entender a vontade de Deus: como a mãe de Tiago e João, pedindo a Jesus lugar privilegiado para seus filhos. Jesus respondeu “Não sabeis o que pedis”. Pedir que a vontade Deus seja realizada em e através de nossas vidas.

Pense: “Aquele que é infiel na riqueza da injustiça, nunca merecerá confiança com a verdadeira riqueza. Os filhos de Deus nunca devem deixar de lembrar que, em todas as suas transações comerciais, estão sendo provados e pesados nas balanças do santuário”. (EGW,TI, v. 4,p.311.1).

Desafio: Faça sempre a vontade de Deus e, assim, esteja preparado para mudanças.


SEGUNDA-FEIRA, 15 DE ABRIL 2019 – PREPARADO-SE PARA O CASAMENTO

“Há tempo para todo o propósito debaixo do céu” (Eclesiastes 3:1), e o casamento deve ser avaliado à luz das instruções divinas.O casamento é vivenciado entre a juventude e a idade adulta, em obediência e aceitação ao plano de Deus para cada um de nós.

Deus, desde a criação,uniu matrimonialmente um homem e uma mulher, tornando-os uma só carne(Gênesis 2:24), e confirmado por Jesus e por Paulo (Mateus 19:5, Marcos 10:7, Efésios 5:31).

Deve ser considerado no planejamento do casamento o custo da manutenção da família, como aconselhou Jesus (Lucas 14:28-30).

Além desses, considerar também os aspectos destacados a seguir:

(a) haver amor, verdadeiro, benigno, que aceite sofrer e não prejudicar o objeto amado. Amor respeitoso, decente, paciente, justo, fiel à verdade, que não falhe por nada (1 Coríntios 13:4-8);

(b) que ambos os nubentes estejam dispostos a experimentar, viver e manifestar o “o fruto do Espírito” entre si (Gálatas 5:22-23);

(c) avaliar se o pretendente é pessoa:

1ª) esforçada e trabalhadora, pois se for preguiçoso ou descuidado não protegerá seus bens e em pobrecerá ou mendigará (Provérbios 24:30-34);

2ª) de temperamento afável e conciliador,não rixosa e enraivecida (Provérbios 22:24);

3ª) cujas crenças se igual e mas do futuro cônjuge. A Bíblia aconselha que não seja pessoa de crenças diferentes, pois como disse Paulo (2 Coríntios 6:14-15)“que comunhão tem a luz com as trevas?E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel?”;

4ª) digna e acertada pelas opiniões da família e amigos próximos, pois o conselho de muitos dá base sólida para uma decisão acertada (Provérbios 11:14).

(d) Por fim, auto avalie-se,indagando “minha escolha é razão ou sentimento?”, pois a melhor razão escolher é confiar “no SENHOR de todo o teu coração” e não ter por baseas própriasrazões e, assim o SENHOR “endireitará as tuas veredas” (Provérbios 3:5-6).

Pense: “Será muito melhor nunca se casar do que estar casado e infeliz. Busque conselho de Deus em todas estas coisas. Seja tão calmo e tão submisso à vontade de Deus, de modo que você não seja afetado por uma excitação febril, e assim desqualificado para Seu serviço por causa de seus laços afetivos”. (EGW, Carta 59, 1880 in TCS, p.23.1).

Desafio: O casamento é tão importante que deve ser avaliado detalhadamente por você e por Deus.


TERÇA-FEIRA, 16 DE ABRIL 2019 – PATERNIDADE E MATERNIDADE

Mudança que impacta e transforma as pessoas e, consequentemente, a família de forma definitiva é o nascimento dos filhos.

Ellen G. White declara que Enoque mudou após o nascimento de seu primeiro filho, “Mas depois do nascimento de seu primeiro filho, Enoque alcançou uma experiência mais elevada; foi atraído a uma comunhão mais íntima com Deus” (Patriarcas e Profetas, p. 49.5). Não é apenas o pai que passa por alterações de compreensão e procedimentos, mas toda a família.

Além da experiência elevada na relação homem-Deus, também há compreensão diferente do amor de Deus por suas criaturas e vice-versa, e no entendimento do amor do filho por seus pais. Aliás, os filhos são alvo de dedicação porque representam a continuidade do nome e do ministério da família (Salmo 127:4-5).

Por isso, os pais dedicam tempo para conversar com Deus sobre o filho desde o momento em que pensam concebê-lo, antes de ser gerado, como Ana, mãe de Samuel (1 Samuel 1:27). E esse hábito de oração deve ser mantido antes do nascimento e até que a paternidade ou maternidade seja rompida pela morte.

Os pais preparem-se em conhecimento, personalidade e caráter para instruir o filho que nascerá no serviço de Deus, como Deus instruiu a mulher de Manoá em como educar o filho que nasceria, Sansão, para fazer a obra de Deus (Juízes 13:7).

A preparação dos futuros pais deve torna-los praticantes e obedientes à Palavra de Deus, como Zacarias e Isabel, pais de João Batista (Lucas 1:6), e cuja oração foi que o filho que nasceria fizesse a vontade de Deus(Lucas 1:13-17).

Também os pais se preparem para receber o Espírito Santo, reconhecendo-O, bem como a o próprio Deus, em suas vidas (Lucas 1:39-45). E que a gestação do filho pedido, esperado e dedicado ao Senhor leve-os, especialmente a mãe, a louvar a Deus, como Maria em seu cântico (Lucas 1:46-55).E na alegria do nascimento do filho, o pai cante um cântico de dedicação do filho ao ministério que o SENHOR lhe designar, como Zacarias no nascimento de João (Lucas 1:76-79).

Pense: “As crianças e os jovens devem receber em seu favor trabalho mais fervoroso, pois são a esperança da igreja”. (EGW, ME,v. 1, p. 319.2).

Desafio: Manter-se sempre preparado para a paternidade e maternidade, levando os filhos a Deus.


QUARTA-FEIRA, 17 DE ABRIL 2019 – PREPARANDO-SE PARA A VELHICE

A velhice,uma das estações da vida, lembra da pela constatação da redução da força, dos sentidos e que o passar dos anos deixa na aparência exterior e interior marcas indeléveis. Moisés reconheceu que a robustez desaparece e há uma disposição para o cansaço e muito do que aparentava desafio é enfado (Salmo 90:10).

O segredo da “boa” velhice está em ter vivido na confiança em Deus (Salmo 71). Envolve conhecer a Deus pessoal e profundamente (v. 17). Quanto mais tempo e quão maior envolvimento com Ele melhor. Significa conhecer, experimentar e anunciar as maravilhas que Deus opera na vida dos indivíduos. Tê-Lo como refúgio e proteção, e que as pessoas imaginem a vida do idoso como um milagre (vv. 1 e 7).

Que a velhice demonstre uma vida bem vivida, testemunha de que Deus é seu Salvador (v. 2). Tal pessoa, com toda experiência sabe e proclama que o SENHOR é sua rocha e fortaleza, uma residência forte e inabalável (v. 3). Por isso, O tem como fonte de esperança e confiança (v. 5). Assim não teme anunciar Suas maravilhas e a operação da justiça de Deus (vv. 16, 17).

O preparo para a velhice reconhece que Deus é força e poder e não desampara os que Nele creem e Dele testemunham (v. 18),anunciando que é Ele quem faz grandes coisas (v. 19).

Uma boa velhice é a experiência de quem desenvolveu bons hábitos, como confiar em Deus (v. 3), louvá-Lo por todos os ciclos vividos, desde a concepção até a velhice(v. 6).Espera. Espera o tempo de Deus. Espera que as pessoas a quem testemunhou recebam a verdade. Espera que seus discípulos sejam melhores e mais produtivos que ele. Espera que Deus tenha mais paciência consigo e com aqueles por quem ora para conversão(v. 4).

Mesmo aposentado, mantém o hábito de louvar a Deus diuturnamente, com paixão e entusiasmo pela missão (v. 8), proclamando a justiça e a salvação que Deus oferece. Glorifica-O porque é Deus Criador e Salvador e nos remirá para habitar com Ele para sempre(vv. 15-18).

Pense: “A religião deve tornar-se o grande negócio da vida. Tudo mais deve ficar subordinado a ela. Todas as nossas faculdades morais, físicas e espirituais devem empenhar-se na batalha cristã”. (EGW, Sa, p. 104.1).

Desafio: Envelhecer na idade, mantendo o rejuvenescimento em Cristo Jesus.


QUINTA-FEIRA, 18 DE ABRIL 2019 – PREPARANDO-SE PARA A MORTE

Para muitos os ciclos da vida são transições quase imperceptíveis e para outros são transformações traumáticas, quase catastróficas. Mas todos as vivenciamos e as superamos, de uma forma ou de outra.

No entanto, entre os eventos mencionados em estudos antecedentes e que mais impactam as famílias são o casamento, o nascimento de um filho e, logicamente, o assunto de hoje, a morte. Se não estamos preparados para os anteriores, muito menos o estamos para a morte.

Mas, se a Bíblia é nosso guia de fé, sabemos que a morte é um inimigo. O último a ser destruído por Cristo, no grande conflito cósmico entre Ele e Satanás (1 Coríntios 15:24-26).

A morte é uma sombra sobre a vida desde que o pecado entrou no Universo. Ela é repentina e inesperada para a grande maioria das pessoas, como foi com Abel e, raramente anunciada como foi com Moisés e Cristo. Mas, ainda que anunciada, será sorrateira e traumática para familiares e amigos.

Deus nos criou para a vida eterna e não nos acostumamos com a morte, mas a Palavra do Senhor nos assegura que se estamos ligados a Cristo, diária e constantemente, estamos também sob Sua justiça (Romanos 3:22).

Davi,quando percebeu que sua vida se esvaia, e, talvez, reconhecendo como a nação e ele sofreram pelas consequências de seu pecado e lhe enfraqueceu moral e espiritualmente para o exercício de seu cargo, aconselhou seu filho, Salomão, para que fosse fiel, guardasse os mandamentos e andasse pelos caminhos que a Palavra de Deus determina. Parece contraditório, mas foi exatamente por ter errado tão gritantemente que Davi encontrou forças para suas palavras. E essa, talvez seja uma forte lição para estarmos preparados para a morte, orientando nossos filhos e jovens a não praticarem os mesmos erros e pecados, mas, obedecer e guardar a lei de Deus (1 Reis 2:1-4).

Pense: “Davi, ao organizar seus negócios, deu um bom exemplo a todos os que são avançados em anos, para que coloquem em ordem seus assuntos enquanto são capazes de fazê-lo, a fim de que, quando estiverem se aproximando da morte e suas faculdades mentais diminuírem, não tenham nada de natureza mundana para lhes desviar de Deus a mente”. (EGW, CBASD, v. 2, p. 1134)

Desafio: Organize sua vida de modo a não estar embaraçado nas teias do inimigo quando a morte chegar.


SEXTA-FEIRA, 19 DE ABRIL 2019 – PONTOS PARA REFLEXÃO

O tema “Preparando-se para a mudança” conduziu as mentes dos leitores por caminhos de mudanças aparentemente inevitáveis, com a assertiva de que a grande certeza da vida é que as mudanças acontecem e acontecerão sempre, repentina na maioria das vezes e, muito raramente de forma predefinida.

Essas mudanças acontecem ao religioso ou ao não-religioso. Mas o cristão é avisado pela Palavra de Deus de algumas mudanças que ocorrerão em sua vida, além daquelas que possam ser consideradas normais. A própria experiência da aceitação de Cristo pode significar mudança com transições marcantes e até turbulentas.

Mas, o cristão precisa estar preparado para as mudanças que são requeridas na vida. Isso se inicia com a disposição de fazer a vontade de Deus sempre. Se assim for, não haverá despreparo.

Algumas estações da vida e da família são transformadoras e de muito impacto, para indivíduosepara a família.E uma dessas e que exige planejamento, preparo e avaliação segundo critérios divinos é o casamento. Pela importância que tem, merece ser submetido ao crivo da resposta de Deus.

Outro momento impactante sobre a família é o nascimento de um filho. A mudança do status de casados para paternidade e maternidade requer preparo físico, mental, social e espiritual.

Nos ciclos naturais da vida, a passagem de adulto para idoso significa contagem de anos, mas pode significar também uma maior contribuição para que a juventude contemporânea receba apoio e ensinamentos que só a experiência acumula.

Por fim, a mais desafiadora mudança para cada ser humano é a passagem para o status de morto. Se for precavido e cônscio da importância de cada fase da existência, também o estará preparado para a morte, tendo sua vida e negócios organizados e desembaraçados.

Na sequência de nossos temas, estudaremos “Como lidar com a solidão”, passando pelos tópicos: companheirismo, vida de solteiro, fim de um casamento, morte e solidão e a experiência da solteirice espiritual. Sempre interligando esses tópicos ao tema geral das “Estações da família”. Feliz sábado com sua família com sanguínea e espiritual.

Pense: “Quanto não deve Deus ter estimado a raça humana, para que desse o Seu Filho a fim de por ela morrer, e designasse o Seu Espírito para ser o mestre e constante guia do homem!”. (EGW, CC, p. 91.2)

Desafio: Cristo enfrentou a maior mudança possível, de Rei dos Reis em Cordeiro de Deus, por você.

sobre Portal da Escola Sabatina Online

O Portal da Escola Sabatina Online, Foi criado no dia 31 de Dezembro 2016 com o único intuito é incentivar a todos interessados a estudarem a LES e lhe concedendo a oportunidade de terem acessos diariamente pela via online. Todos os conteúdos do Portal é extremamente de máxima qualidade! Direção: Thiago A. de Oliveira - Baixo Guandu/ES.

Além disso, verifique

Comentários da CPB: Lição 04 – Como Lidar com a Solidão – 20 a 27 de Abril 2019

Fazer DownloadImprimir  Autor: Moisés Mattos Editor: André Oliveira Santos: andre.oliveira@cpb.com.br Revisora: Josiéli Nóbrega Introdução: Nesta …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×

Portal da Escola Sabatina Online

Seja Bem-Vindo(a), Estude diariamente as Lições da Escola sabatina da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

× Fale Conosco!